Prisão

Líder rebelde foge de prisão na República Democrática do Congo

O líder de um movimento rebelde, que instigou um levantamento contra o Presidente da RD Congo Joseph Kabila, fugiu da prisão central de Makala, em Kinshasa.

"O pavilhão das mulheres está vazio. Todas as presas escaparam", acrescentou o responsável

Hugo Delgado/LUSA

O líder de um movimento rebelde, que instigou um levantamento contra o Presidente da República Democrática do Congo (RDCongo) Joseph Kabila, fugiu esta quarta-feira da prisão central de Makala, em Kinshasa, durante um ataque ao estabelecimento prisional.

A data escolhida para a fuga é simbólica, pois esta quarta-feira é feriado no país e marca o vigésimo aniversário da queda do ditador Mobutu Sese Seko e a chegada ao poder do líder rebelde Laurent Kabila, pai de Joseph Kabila.

“Os apoiantes do movimento Bundu Dia Kongo atacaram (…) a prisão de Makala, conseguindo a fuga de cinquenta prisioneiros, incluindo o seu líder, Ne Muanda Nsemi. A polícia perseguiu os atacantes”, disse à agência de notícias AFP o porta-voz do Governo congolês, Lambert Mende.

Mais tarde, um responsável da cidade-província de Kinshasa declarou à AFP, sob condição de anonimato, que três prisioneiros condenados por ligações ao assassinato do pai de Kabila em 2001, entre os quais o seu secretário pessoal, estão entre os fugitivos.

“O pavilhão das mulheres está vazio. Todas as presas escaparam”, acrescentou o responsável, sem especificar o número de mulheres detidas em Makala.

Ne Muanda Nsemi é o líder do Bundu Dia Kongo (BDK, “Reino do Congo” em kikongo), do movimento político-religioso que defende a separação do Congo Central (província no oeste da RDC), e acusado de uma série de ataques contra funcionários do estado em janeiro e fevereiro de 2016.

Nsemi foi preso no início de março, após duas semanas de cerco à sua residência em Kinshasa. O líder da BDK já havia apelado à uma revolta contra Kabila depois de uma tentativa fracassada de reconciliação com o chefe de Estado no final de 2016.

Kabila sucedeu ao seu pai em janeiro de 2001, tendo sido eleito Presidente em 2006 e reeleito em 2011, numa votação marcada por alegadas fraudes.

O mandato de Kabila terminou em dezembro e a constituição do país proíbe que o Presidente concorra novamente ao cargo, mas o chefe de Estado continua à frente do país depois de uma decisão controversa do Tribunal Constitucional.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Liberdades

Graus de liberdade /premium

Teresa Espassandim

Ninguém poderá afirmar que é inteiramente livre, que pouco ou nada o condiciona, como se a liberdade significasse tão só e apenas a ausência de submissão e de servidão.

Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sri Lanka

Ataque terrorista à geografia humana de Portugal

Vitório Rosário Cardoso

É quase indissociável desde o século XVI na Ásia marítima a questão de se ser católico e de se ser Português porque afirmando-se católico no Oriente era o mesmo que dizer ser-se Português. 

Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Liberdades

Graus de liberdade /premium

Teresa Espassandim

Ninguém poderá afirmar que é inteiramente livre, que pouco ou nada o condiciona, como se a liberdade significasse tão só e apenas a ausência de submissão e de servidão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)