O advogado de Oliveira Costa, Leonel Gaspar, afirmou esta quarta-feira que “é possível que não haja” leitura do acórdão do processo principal do caso BPN, adiantando que o cliente não estará presente por estar “muito doente”.

À chegada ao Palácio da Justiça, em Lisboa, Leonor Gaspar admitiu que poderá não haver leitura do acórdão, “porque está pendente no Tribunal Constitucional um recurso que tem efeito suspensivo”. Oliveira Costa não estará presente em Tribunal por estar “muito doente”, acrescentou. Questionado pelos jornalistas sobre a expetativa de uma absolvição, Leonel Gaspar considerou que “é muito difícil”.

A leitura do acórdão do processo principal do caso BPN está marcada para esta quarta-feira, mais de seis anos após o início do julgamento, tendo o coletivo de juízes convocado a presença de todos os arguidos no tribunal.

Inicialmente agendada para 28 de abril, o juiz presidente deste processo, Luís Ribeiro, adiou para esta quarta-feira a leitura do acórdão, dada a impossibilidade de ter o acórdão fechado para leitura na data prevista.