O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recusou-se, este sábado, a comentar o roubo do material de Guerra do paiol de Tancos, esta semana por entender não ser o “momento adequado”.

“Não é este o momento adequado porque, primeiro, estou fora do território português e não comento fora do território português realidades da vida política portuguesa. Em segundo lugar porque não é momento ainda para, com base nas informações que vou recebendo, me pronunciar sobre a matéria”, respondeu o chefe de Estado quando questionado pelos jornalistas em Bruxelas, onde foi participar numa iniciativa promovida pelo eurodeputado do CDS, Nuno Melo.

O ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, admitiu este sábado de manhã que os 44 lança-granadas, os quatro engenhos prontos a detonar, 120 granadas e 1.500 munições de 9 mm roubadas ao Exército no paiol de Tancos podem ter o terrorismo como destino.