O Brasil registou 322 casos de microcefalia em 2017, informou esta quarta-feira o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde.

Os dados levam em conta as notificações confirmadas de casos de microcefalia e outras alterações neurológicas graves em recém-nascidos até 20 de maio.

Segundo o Ministério da Saúde, houve 1.158 novas notificações de casos suspeitos em 2017.

O documento destacou que o vírus Zika foi responsável por pelo menos 30 mortes fetais.

Apesar da confirmação de que ainda há a incidência de casos, o Brasil decretou o fim da emergência nacional que havia estabelecido após o crescimento das infeções por vírus Zika no dia 11 de maio.

A epidemia de Zika preocupou o Brasil e o mundo no final de 2015, quando médicos começaram a relacionar a doença com o aumento exponencial de nascimento de bebés com microcefalia ou com graves alterações neurológicas.