Os Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG) de Macau baixaram hoje o alerta de tempestade tropical para sinal 3 depois de o tufão Pakhar, o segundo em menos de uma semana, ter ‘tocado’ terra na província de Guangdong.

O sinal 8 de tempestade tropical foi substituído pelo sinal 3 pelas 13:00 (06:00 em Lisboa), quando o Pakhar se localizava a cerca de 150 quilómetros de Macau, movendo-se a uma velocidade de 25 km/h em direção a noroeste.

A escala de alerta de tempestades tropicais é formada pelos sinais 1, 3, 8, 9 e 10 — hasteados tendo em conta a proximidade da tempestade e a intensidade dos ventos.

O sinal 3 significa que o centro da tempestade tropical movimenta-se de forma a que se façam sentir em Macau ventos entre 41 km/h e 62 km/h com rajadas de cerca de 110 km/h.

O sinal 3 vai continuar içado “por mais algum tempo”, segundo os SMG.

O tufão Pakhar ‘tocou’ terra na cidade de Taishan em Guangdong, província adjacente a Macau, uma hora antes do previsto.

O aviso de grau amarelo de ‘Storm Surge’, o mais baixo de uma escala de 3, continua em vigor, mas os Serviços Meteorológicos e Geofísicos não descartam a possibilidade de o substituir por um grau mais elevado devido ao nível da água.

O aviso ‘Storm Surge’ de nível amarelo indica a possibilidade de que “o nível de água atinja valores inferiores a 0,5 metros acima do nível do pavimento”.

Segundo o Centro de Operações de Proteção Civil (COPC), até às 12:30 (05:30) foram registados 95 incidentes na sequência da aproximação a Macau do Pakhar, incluindo 16 devido a inundações.

Em comunicado, o COPC reportou ainda quatro casos de incêndio em caixas elétricas e dois casos de corte de energia, a somar a dez ocorrências de queda de árvores e cabos elétricos e a uma de deslizamento de terras.

Este foi o segundo tufão a atingir Macau em menos de uma semana, depois de a tempestade tropical Hato ter causado dez mortos e mais de 200 feridos.

A passagem, na quarta-feira, do tufão Hato, o mais forte em 50 anos, levou as autoridades a hastear o sinal máximo (10), o que não sucedia desde 1999.