A coisa até prometia no começo da época: Stan Valckx, Peixe, Paulo Sousa, Balakov, Cherbakov, Luís Figo, Capucho, Juskowiak, Cadete ou Iordanov. A época era a de 1993/94. O treinador, Bobby Robson.

O Sporting venceria as cinco primeiras jornadas (Salgueiros, V. Setúbal, Estrela da Amadora, Belenenses e Farense) como agora o de Jorge Jesus o fez. Aliás, desde esta temporada que tal não acontecia para os lados de Alvalade. E o Sporting de Robson venceria até à nona jornada, quando foi perder (2-1) ao Bessa com o Boavista. Robson manter-se-ia no cargo até dezembro. Mas não chegaria ao Natal.

Depois de uma derrota (3-0) frente ao Casino Salzburg — o Sporting venceu “apenas” por 2-0 no José Alvalade e acabaria eliminado na 3.ª ronda da Taça UEFA –, o inglês sairia.

Carlos Queiroz foi a escolha de Sousa Cintra para assumir o banco na vez de Robson. O Sporting terminaria a época em terceiro lugar no campeonato. Mas até chegou à final da Taça de Portugal. Quem venceu no Jamor? O Porto… treinado por Bobby Robson.