Eleições em Angola

João Lourenço toma posse na terça-feira como presidente de Angola

O ato de investidura do presidente eleito nas eleições gerais angolanas de 23 de agosto, João Lourenço, realiza-se na terça-feira, com mais de mil convidados nacionais e estrangeiros.

A cerimónia termina com o desfile dos três ramos das Forças Armadas Angolanas

Fernando Villar/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O ato de investidura do presidente eleito nas eleições gerais angolanas de 23 de agosto, João Lourenço, realiza-se na terça-feira, com mais de mil convidados nacionais e estrangeiros, entre os quais 30 chefes de Estado e de Governo.

De acordo com o programa, a cerimónia, que decorrerá no período da manhã, começa com a leitura da transcrição da declaração da comissão Nacional Eleitoral que proclama João Manuel Gonçalves Lourenço como Presidente da República de Angola eleito e dos seus dados biográficos.

A seguir será igualmente feita a leitura da declaração do início da cerimónia de posse, pelo juiz conselheiro presidente do Tribunal Constitucional, Rui Ferreira, que convida João Lourenço a fazer o juramento constitucional.

Com a mão direita sobre a Constituição da República de Angola, João Lourenço presta juramento à nação, enquanto o presidente do Tribunal Constitucional procede à leitura do termo de posse.

No momento seguinte, João Lourenço vai assinar o termo de posse e respetivos termos individuais, ratificado pelo presidente do Tribunal Constitucional.

Ato contínuo, o novo presidente da República desloca-se ao local onde se encontra o Presidente cessante, José Eduardo dos Santos, para este lhe colocar o colar presidencial e acontecer a troca de lugares.

Os mesmos procedimentos serão observados para a investidura do vice-Presidente eleito, Bornito de Sousa.

O programa prevê, após esses atos, discursos de felicitações do presidente do Tribunal Constitucional e do novo chefe de Estado angolano.

A cerimónia termina com o desfile dos três ramos das Forças Armadas Angolanas, seguindo-se a execução do hino nacional e os disparos de 21 salvas de canhão.

Na terça-feira foi decretado pelo Governo tolerância de ponto, para os trabalhadores angolanos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)