A polícia alemã, segundo foi noticiado pelo jornal Süddeutsche Zeitung, prendeu para interrogatório o engenheiro Wolfgang Hatz, que entre 2001 e 2015 dirigiu o Departamento de Desenvolvimento de Motores da Volkswagen e que, a partir de 2011, passou a ser igualmente o responsável pela Investigação e Desenvolvimento de motorizações da Porsche, onde integrava a administração.

O inquérito, que tudo indica se centrará no Dieselgate e na tentativa de identificar os responsáveis pela manipulação das emissões poluentes, está a provocar grande agitação junto da indústria automóvel alemã, especialmente em Martin Winterkorn, o CEO do Grupo Volkswagen até ser afastado em 2015, devido ao escândalo, de quem Hatz era muito próximo, sendo definido como um dos seus mais importantes conselheiros.

Martin Winterkorn, ex-CEO do grupo, tinha a máxima confiança em Hatz, o seu responsável pelo desenvolvimento de motores, que colocou na administração da Porsche

Quando Winterkorn foi afastado, afirmou que o Dieselgate “se deveu a um terrível erro cometido por um grupo de pessoas”. São essas pessoas que a justiça alemã pretende identificar, tudo sugerindo que será pouco provável que o próprio Winterkorn não esteja envolvido, ele que saiu da Volkswagen com uma compensação de 16,6 milhões de euros.

Além da prisão de Wolfgang Hatz, a polícia germânica procedeu a uma série de buscas relacionadas com o homem responsável pelas unidades motrizes do grupo alemão e que, também ele, rescindiu com a empresa em 2015, levando consigo 15,3 milhões de euros e um Porsche 911.