A onda de acusações de assédio sexual em Hollywood apanhou mais um “peixe graúdo”: John Lasseter, diretor criativo da Disney e da Pixar e fundador desta última, pediu uma licença sabática de seis meses depois de várias acusações de assédio sexual.

Num comunicado à empresa – divulgado pelo Hollywood Reporter -, o realizador, de 60 anos, reconhece que não conseguiu criar uma cultura de “apoio e colaboração” e revela que foi confrontado com algumas acusações recentemente.

Tive recentemente várias conversas difíceis que foram muito dolorosas para mim. Nunca é fácil enfrentar os nossos erros, mas é a única maneira de aprendermos com eles. Como resultado, pensei bastante sobre o líder que sou hoje comparado com o mentor, defensor e campeão que quero ser. Foi chamado à minha atenção que fiz alguns de vocês sentirem-se desrespeitados ou desconfortáveis. Nunca foi a minha intenção”, escreveu John Lasseter aos funcionários.

O responsável por filmes como “Uma vida de inseto” ou “Toy Story” pediu desculpa por desiludir todos aqueles que trabalham com ele e acrescentou mais pormenores sobre o porquê desta decisão. “Quero especialmente pedir desculpa a toda a gente que recebeu um abraço indesejado ou qualquer outro gesto que possa ter passado a linha”, diz o comunicado, seguido de mais um pedido de desculpas porque “independentemente do quão benignas fossem as minhas intenções, toda a gente tem o direito de estabelecer os seus limites e vê-los respeitados”.

O The Guardian conta que a Disney já respondeu à notícia e um porta-voz da empresa afirmou que “prezam o pedido de desculpas sincero e cândido de John Lasseter e apoiam na íntegra a sua licença sabática”. O comunicado foi divulgado na mesma altura em que uma investigação do Hollywood Reporter envolvia o nome do realizador em inúmeras acusações de má conduta e assédio sexual, com uma antiga funcionária da Pixar a garantir que “quando ele abraçava alguém, sussurrava ao ouvido durante imenso tempo. Ele abraçava toda a gente, durante demasiado tempo, e ficava toda a gente a olhar. Ele invadia o espaço pessoal”.

A licença sabática de John Lasseter surge dias depois do afastamento de Jeffrey Tambor da série “Transparent” e do despedimento de Charlie Rose da CBS, ambos por acusações de assédio sexual.