Portugal e Cabo Verde vão apresentar em breve à CPLP um projeto para a mobilidade inter-estados e estão a estudar uma parceria “especialíssima” para a livre circulação de pessoas, revelou esta quarta-feira o Presidente cabo-verdiano.

Jorge Carlos Fonseca fez o anúncio desta iniciativa dos dois países, a apresentar à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, ao lado do homólogo português, Marcelo Rebelo do Sousa, por quem foi recebido ao fim da tarde no Palácio de Belém.

A audiência com Marcelo foi o primeiro ato oficial da visita de Estado que o Presidente de Cabo Verde iniciou esta quarta-feira a Portugal.

O Presidente português elogiou o contributo da comunidade cabo-verdiana para a sociedade portuguesa e defendeu que Portugal e Cabo Verde devem, bilateralmente, “dar mais passos no sentido da circulação das pessoas”.

Tendo Jorge Carlos Fonseca ao seu lado, de quem foi colega de faculdade e a quem se referiu como “querido amigo de há décadas”, o chefe de Estado português considerou que as relações as nações e os povos e Portugal e de Cabo Verde são excelentes e que é difícil superar o atual grau de proximidade.

“Essa excelência deve muito à presença dos nossos irmãos cabo-verdianos em Portugal, é uma comunidade antiga, entrosada na sociedade portuguesa, que tem contribuído todos os dias para o avanço da sociedade portuguesa e a quem muitíssimo devemos. E aqui fica registada a gratidão do Presidente da República de Portugal”, acrescentou.

Referindo-se ao intercâmbio entre estudantes dos dois países, Marcelo Rebelo de Sousa declarou: “Somos sensíveis a tudo quanto possa ser feito para articular melhor as várias instituições para responder a preocupações de estudantes cabo-verdianos em Portugal relativamente aos seus vistos e relativamente à sua permanência entre nós, que para nós é tão importante”.

“Também bilateralmente é importante dar mais passos no sentido da circulação das pessoas, da mobilidade entre as pessoas”, defendeu, mais à frente.

No plano multilateral, o Presidente da República reiterou o apoio de Portugal ao “aprofundamento” da parceria entre Cabo Verde e a União Europeia e congratulou-se com “os passos dados ou a dar por Cabo Verde no quadro da mobilidade com a União Europeia”, defendendo que “isso é positivo para a União Europeia, é positivo para Cabo Verde, é positivo para Portugal”.

No quadro da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa salientou que Cabo Verde vai acolher a próxima cimeira e atribuiu-lhe “uma especial responsabilidade e um papel muito importante, porventura determinante” para reforçar a visibilidade desta comunidade.

“E também para levar por diante um projeto que nos é querido: a mobilidade dentro da CPLP”, acrescentou.