A Força Aérea das Filipinas (PAF) fez um pedido à Embraer de seis aviões de ataque leve e de formação avançada A-29 Super Tucano para missões de apoio aéreo tático, anunciou esta quinta-feira a companhia aeronáutica brasileira, em comunicado.

“Após um abrangente processo de licitação pública, que contou com a participação de vários fabricantes de todo o mundo, cumprindo os mais rigorosos processos de avaliação, o Super Tucano foi selecionado como parte do plano de modernização da PAF”, lê-se na nota.

De acordo com a Embraer, a aeronave será utilizada em missões de apoio aéreo tático, ataque leve, vigilância, intercetação e ações contra grupos rebeldes. As entregas dos aviões A-29 Super Tucano vão começar em 2019.

“Estamos orgulhosos de sermos selecionados pela Força Aérea das Filipinas, nosso segundo operador na região da Ásia-Pacífico, e pela confiança expressada pelos nossos clientes”, disse Jackson Schneider, presidente da Embraer Defesa & Segurança, citado na nota.

“O Super Tucano é o melhor avião de ataque leve do mercado e estamos confiantes de que realizará com excelência as missões para as quais foi selecionado”, sublinhou Schneider.

De acordo com o comunicado, o A-29 Super Tucano é um avião turboélice robusto, versátil e poderoso, capaz de realizar uma ampla gama de missões, mesmo operando a partir de pistas não preparadas. Até ao momento, o Super Tucano já foi selecionado por 14 forças aéreas em todo o mundo.

A Embraer, empresa multinacional com sede no Brasil, atua nos segmentos de aviação comercial, aviação executiva, defesa e segurança e aviação agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de oito mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos, uma aeronave fabricada pela Embraer descola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros, de acordo com a empresa.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil.

A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora funcionam duas fábricas da Embraer, sendo que a empresa também é acionista da OGMA (65%), em Alverca.