Rádio Observador

IURD

IURD. PGR quer saber se houve falhas do Ministério Público nos processos que envolveram os menores

A PGR abriu um inquérito para averiguar a forma como o Ministério Público atuou nos processos que envolveram as crianças adotadas pela IURD e que correram na jurisdição da família e crianças.

Autores
  • Rita Ferreira
  • Agência Lusa

Depois de ter aberto um inquérito-crime para investigar os factos que têm vindo a ser denunciados pela TVI e que envolvem alegadas adoções ilegais de crianças por parte de membros da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), a Procuradoria Geral da República decidiu agora averiguar como foi a atuação do próprio Ministério Público quando esteve envolvido nos processos que correram na jurisdição de família e menores.

Ou seja, a procuradora Joana Marques Vidal quer saber se foram cometidos erros, ou se houve alguma falha por parte do Ministério Público, que tem um papel ativo e determinante em todos os processos que envolvam menores e família. Podemos estar a falar dos processos de adoção ou de regulação de poder paternal, que passaram pelos Tribunais de Família e Menores, e que disseram respeito a estas crianças e às suas famílias – biológicas e adotivas.

A matéria em questão está intrinsecamente ligada com processos concretos que correram termos na jurisdição da família e crianças, área de especial e relevante intervenção do Ministério Público. Assim, por considerar que a atuação funcional do Ministério Público no âmbito deste universo de processos não pode deixar de ser objeto de análise, a Procuradora-Geral da República determinou a abertura de um inquérito com vista a averiguar a eventual existência de procedimentos incorretos ou irregulares”, escreve a PGR em comunicado.

Entre os casos mais mediáticos divulgados pela TVI estarão os netos do bispo Edir Macedo, que também serão oriundos desta rede de tráfico de menores. Os netos de Edir Macedo, milionário brasileiro e líder espiritual da IURD, terão sido roubados em Portugal num esquema de tráfico de menores que operou durante os anos 1990 a partir de um lar para crianças gerido por aquele movimento em Lisboa.

Muitas destas histórias só são conhecidas agora, 20 anos depois dos factos, porque apenas agora foi possível recolher testemunhos e documentação original de pessoas envolvidas nos casos (incluindo mães das crianças em questão) que se afastaram da IURD e divulgaram os esquemas.

Segundo a investigação, apesar de o Lar Universal funcionar de forma ilegal, muitas das crianças foram enviadas para lá pelos próprios tribunais e pela Segurança Social. As crianças eram depois disponibilizadas numa espécie de catálogo para serem levadas para o Brasil.

Os netos de Edir Macedo, milionário brasileiro e líder espiritual da IURD, terão sido roubados em Portugal num esquema de tráfico de menores que operou durante os anos 1990 a partir de um lar para crianças gerido por aquele movimento em Lisboa. A série “O Segredo dos Deuses”, composta por 10 episódios, será transmitida diariamente até ao dia 22 de dezembro.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)