Mercado Imobiliário

Imobiliário em Portugal teve “ano espetacular”, e “é sustentável”, diz consultora JLL

261

Consultora JLL Portugal calcula que tenha havido um investimento recorde em imobiliário comercial, 50% acima do ano anterior. E também o segmento residencial está em alta, sobretudo as casas "premium"

MÁRIO CRUZ/LUSA

O investimento em imobiliário comercial em Portugal terá ascendido a 1.900 milhões de euros em 2017, cerca de 50% mais do que o valor registado no ano transato. Esta é a estimativa da consultora JLL Portugal, que constata que nos mercados de habitação, escritórios, retalho e hotelaria, 2017 foi um ano de forte crescimento nas transações e de um “aumento evidente dos preços e rendas”.

“2017 foi um ano espetacular para o mercado imobiliário em Portugal. Já não estamos a falar de um percurso de recuperação, mas sim de expansão”, afirma Pedro Lancastre, diretor-geral da JLL Portugal, em comunicado de imprensa difundido esta quinta-feira.

O responsável defende que “no investimento e na atividade de ocupação e venda de escritórios, habitação e hotelaria, atingiram-se volumes de negócios e crescimento de valores que superam máximos atingidos no mercado. É um crescimento sustentado e sustentável, porque as fontes de procura são hoje muito mais diversificadas e o posicionamento de Portugal na captação de capital internacional não é conjuntural”.

Além do crescimento no setor empresarial, a consultora assinala que o mercado residencial segue com uma média de crescimento em torno dos 20% em número de alojamentos vendidos (dados do INE até ao terceiro trimestre) quer para o total de Portugal quer para Lisboa, onde se regista um aumento médio de preços na ordem dos 11%.

O segmento premium mantém-se como um dos mais dinâmicos e apresenta, em média, valorizações dos preços de 10% a 20% nas principais zonas de Lisboa, com algumas zonas a apresentarem subidas superiores 30%. Com um valor médio de venda na ordem dos 630 mil euros para este tipo de produto em Lisboa, a amostra de transações residenciais concluídas pela JLL em 2017 demonstra que portugueses e estrangeiros protagonizam as vendas em partes iguais (50% cada).”

A JLL Portugal sublinha que é “óbvia a diversificação da origem dos compradores, com cerca de 50 nacionalidades a adquirirem casas em Lisboa ao longo de 2017”.

Neste contexto favorável, a empresa diz ter tido o melhor ano de sempre desde que está em Portugal, “quase duplicando o crescimento médio anual dos últimos dois anos”. “Este ano excecional para a empresa e para o mercado imobiliário espelha também o contexto económico favorável e que surpreendeu pela positiva, numa altura em que as agências de notação reviram em alta o rating da dívida portuguesa. A conjugação destes fatores impulsionou o crescimento económico, a confiança internacional, o financiamento e o investimento”, remata Pedro Lancastre.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)