Um homem de 32 anos morreu ao ser “sugado” por uma máquina de ressonância magnética, em Mumbai, na Índia. A família da vítima diz estar perante um caso de negligência médica.

O caso aconteceu na noite de sábado, quando Rajesh Maru foi visitar um familiar ao hospital. O homem entrou na sala, escreve o jornal The Guardian, onde estava instalada a máquina de ressonância, com uma botija de metal com oxigénio, depois de um dos profissionais de saúde lhe ter dito que não havia problema, pois a máquina estava desligada.

Quando lhe dissemos que as botijas não são permitidas no interior destas salas, ele disse que não havia problema e que a máquina estava desligada”, contou Harish Solanki, familiar da vítima.

Assim que entrou na sala, Rajesh Maru foi imediatamente sugado pela máquina de ressonância. O que aconteceu foi que o campo magnético da máquina foi ativado, puxando com força o homem e a botija. A vítima acabou por ficar com a mão presa na máquina e a botija teve uma fuga de oxigénio.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O homem foi retirado da máquina pela equipa médica e foi levado para o serviço de emergência onde acabou por morrer. As autoridades afirmam que os relatórios indicavam morte por inalação de grande quantidade de oxigénio líquido.

Ramesh Bharmal, diretor do hospital, disse à AFP que está em curso uma investigação para determinar a causa exata da morte de Rajesh Maru. O governo estadual de Maharashtra, do qual Mumbai é a capital, anunciou que vai indemnizar a família da vítima. Na sequência do acidente foram detidas duas pessoas acusadas de negligência médica.