Pelo menos 18 pessoas ficaram feridas esta sexta-feira em Xangai, depois de uma carrinha ter pegado fogo e abalroado vários cidadãos que se encontravam na rua, numa zona muito movimentada do centro da cidade. De acordo com a investigação preliminar, ter-se-á tratado de um acidente e não de um ataque: o condutor, cujo apelido é Chen, de 40 anos, estaria a fumar um cigarro dentro do veículo enquanto transportava, de forma ilegal, substâncias “perigosos”.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, que cita um comunicado do governo de Xangai, o condutor está a receber tratamento e a ser investigado pelas autoridades pelo transporte ilegal de substâncias, que se acredita serem tanques de gás. O mesmo comunicado sublinha que, dos 18 feridos, três estão em estado crítico. As chamas que deflagraram na carrinha foram extintas imediatamente.

O incidente ocorreu numa junto à Praça do Povo, em frente a um café Starbucks, e, de acordo com relatos feitos à agência Reuters, a minivan já estava em chamas quando subiu o passeio e atingiu algumas pessoas, parando finalmente à frente daquele café. A loja não teve estragos, e todos os trabalhadores e clientes ficaram bem. “A loja está fechada e vamos ajudar as autoridades nas investigações”, disse o porta-voz do Starbucks à agência Reuters.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Um jornal sediado naquela cidade chinesa, The Paper, relata que algumas pessoas tentaram partir os vidros da carrinha e tirar de lá os passageiros depois do embate, dizendo tratar-se de seis pessoas, incluindo o condutor. Outros relatos dão conta de que a carrinha transportava cilindros de gás.

A investigação ainda decorre, mas a polícia não acredita ter-se tratado de um ataque intencional. O incidente acontece no mesmo dia em que a primeira-ministra britânica, Theresa May, tem uma visita marcada àquela cidade de negócios chinesa.