O regulador de telecomunicações norte-americano aprovou que Elon Musk utilizasse satélites da SpaceX para construir uma rede de banda larga de Internet para os Estados Unidos e para o mundo todo, avança a Reuters. Ajit Pai, presidente da Federal Communications Commission (FCC) afirmou em comunicado que “a tecnologia dos satélites pode ajudar os americanos que vivem em meios rurais ou em sítios onde os cabos de fibra ótica não chegam”.

A 1 de fevereiro, a SpaceX comunicou à FCC que planeia lançar dois satélites experimentais num dos foguetões Falcon 9, que será lançado no sábado, na California. Há pouco mais de uma semana, a SpaceX conseguiu lançar, com sucesso, o foguetão mais poderoso do mundo para o espaço, o Falcon Heavy, que levava um carro Tesla Roadster da coleção pessoal do multimilionário, que é presidente da SpaceX e da Tesla, empresa de carros elétricos.

A democrata Jessica Rosenworcel disse que os satélites de internet prometem ser uma grande promessa. “Vão multiplicar o número de satélites nos céus, criando extraordinárias novas oportunidades… A FCC deve mover-se rapidamente para facilitar estes novos serviços e sublinhar o nosso compromisso com a segurança espacial”, afirmou o novo presidente da entidade reguladora.

Em 2015, o multimilionário Elon Musk já tinha dito que queria lançar um negócio de satélites para a Internet que ajudasse a construir uma cidade em Marte e que a SpaceX queria criar “um sistema de comunicações global” que poderia “reconstruir a Internet no espaço”, mais rápida do que as ligações tradicionais. As ideias ambiciosas e disruptivas de Elon Musk — que também esteve envolvido no lançamento da Pay Pal — têm feito dele um “génio”, como escreveu Ashlee Vance na biografia que escreveu do empresário.