A empresa fundada e liderada pelo português José Neves, a Farfetch, contratou dois bancos de investimento, o JPMorgan e o Goldman Sachs, para preparem uma Oferta Pública de Inicial de venda de capital (IPO na sigla inglesa) nos Estados Unidos. A notícia está a ser avançada pelo jornal Financial Times, que adianta também que esta entrada no mercado bolsista norte-americano pode acontecer até ao fim deste ano.

A Farfetch é uma das poucas empresas tecnológicas europeias avaliadas, atualmente, em mais de mil milhões de dólares, adianta o mesmo jornal. A oferta em bolsa, uma hipótese que já tem sido noticiada, é mais um passo no crescimento da empresa que se especializou no comércio online de marcas de luxo.

Farfetch prepara entrada em bolsa e pode valer 4,5 mil milhões

Fontes próximas da empresa acrescentam que a sede em Londres quer ir para a bolsa depois de ter chegado a um acordo de distribuição com a marca de roupa britânica Burberry e de ter ainda promovido iniciativas digitais em parceria com a francesa Chanel.

Os analistas citados pelo Financial Times estimam ainda que a Farfetch procure, com a sua estreia em bolsa, uma avaliação próxima à da YNAP, uma retalhista online, que inclui os sites Net-a-Porter e Mr Porter, e tem um valor de mercado de cinco mil milhões de euros. Juntamente com estas duas tecnológicas, a Farfecth é uma das três principais empresas de comércio online de artigos de luxo, que atualmente envia os seus artigos para 190 países.

A Farfetch e o JPMorgan e o Goldman Sachs não comentaram esta notícia. Os últimos resultados da empresa, de 2016, revelam que teve prejuízos antes dos impostos de 35,4 milhões de libras (cerca de 39,8 milhões de euros), e receitas de 151,3 milhões de libras (aproximadamente 170 milhões de euros).