Rádio Observador

Cuidado: está quente

Já abriu a Cantina Zé Avillez. E há cozido à portuguesa ao fim de semana

4.216

Comida típica nacional servida num ambiente descontraído e simples, no Campo das Cebolas, em Lisboa. Está aí a mais recente adição ao império gastronómico do chef português.

Photographer: Bruno Calado

O que é que se faz quando já somamos 13 restaurantes com o nosso nome? Fácil, abre-se mais um. Não garantimos que este possa ter sido o pensamento de José Avillez, mas isso não invalida que não seja mesmo verdade a última parte do raciocínio: o chef do Belcanto, em Lisboa (duas estrelas Michelin), acaba de juntar mais um espaço ao seu império e, desta vez, quem manda é a comida típica portuguesa.

A novíssima Cantina Zé Avillez acaba de abrir portas no renovado Campo das Cebolas, na zona ribeirinha de Lisboa, e debruça-se numa área gastronómica que o super-chef ainda não tinha explorado: o receituário tradicional português na sua forma mais pura.

“A Cantina Zé Avillez abre as suas portas a todos os que vivem e trabalham em Lisboa, mas também a quem visita a cidade e o país. Aqui celebramos o nosso gosto em receber bem. A Cantina Zé Avillez é um cartão de visita de Lisboa” , explica o chef no comunicado de imprensa a que o Observador teve acesso.

A fachada do restaurante é forrada por grandes janelas viradas para o jardim do Campo das Cebolas. ©Bruno Calado/Grupo José Avillez

Neste novo espaço impera o imaginário (criado pelo chef e as decoradoras Felipa Almeida e Ana Anahory) das típicas casas e tabernas portuguesas: azulejos tradicionais, mármores de Estremoz e aquelas cadeiras simples que não há muito tempo existiam em todas os lares portugueses formam o recheio desta Cantina que procurar servir comida de conforto.

Mais concretamente, este novo restaurante tem duas salas grandes e uma zona de esplanada com vista para o jardim do Campo das Cebolas e o rio Tejo. Iluminado pela luz que entra pelas grandes janelas da fachada, poderá provar aqui pratos como bacalhau lascado com grelos, crosta de broa e alheira (15€), bitoque com ovo a cavalo e batata frita (13€), iscas finas com batata frita e cebolada (12€) ou até dobradinha com enchidos, couve e feijão (12€). Estes são alguns dos pratos principais presentes na ementa, mas há mais: no capítulo das entradas (vai poder ficar-se por aqui, se pretender apenas petiscar qualquer coisa) há mãozinhas de vitela com grão e enchidos (6€), saladinha de polvo e batata doce (7,50€) ou até um escabeche de pato com batata palha (6,50€). E sobremesa? Também há: experimente o toucinho do céu (4€) ou bolo de chocolate (4€).

O bife do lombo na frigideira (24,50€) da Cantina Zé Avillez. ©Bruno Calado/Grupo José Avillez

A juntar a isto tudo há uma vertente da ementa mais virada para os almoços rápidos — o próprio Grupo José Avillez assume que este é um espaço pensado para os lisboetas, se bem que estrangeiros são mais que bem vindos –, onde encontra simples salgados como pastéis de bacalhau (2€, 2 unidades), empadas de alheira (3€, 2 unidades); ou até o tradicional prego com alho e mostarda (4€).

Contudo, aquela que será talvez a maior surpresa desta novidade é o facto de todos os fins-de-semana haver cozido à portuguesa ao almoço. Sim, é verdade, leu bem. Cozido à portuguesa — e não, não é aquela célebre versão que o chef serve no Belcanto e que cabe numa simples tigela. É um cozido “à séria”, com chouriço de carne, morcela de cozer e de assar, farinheira da Beira, aba de novilho, entrecosto, mãozinha de vitelo, pernil fumado, orelha, focinho e barriga de porco (todos fumados), couve lombarda, nabo, cenoura, batata, feijão branco e arroz do cozido (tudo isto por 25€ por pessoa).

O espaço ainda está no chamado soft-opening, mas já estará mais que disponível para o receber. Em podendo, é passar por lá e experimentar tudo.

Cantina Zé Avillez
Rua dos Arameiros, 15, Lisboa. 215 80 76 25. Das 12h às 24h (não fecha). 30€ (preço médio)

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: dlopes@observador.pt
Pais e Filhos

Um pai do século XXI

David Gaivoto

Ao longo da minha experiência enquanto pai tenho também aprendido que por vezes são eles que nos educam, por vezes são eles que nos apelam à nossa consciência com a sua gigante e preciosa inocência

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)