535kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 32.99/mês aqui.

Já abriu a Cantina Zé Avillez. E há cozido à portuguesa ao fim de semana

Este artigo tem mais de 4 anos

Comida típica nacional servida num ambiente descontraído e simples, no Campo das Cebolas, em Lisboa. Está aí a mais recente adição ao império gastronómico do chef português.

10 fotos

O que é que se faz quando já somamos 13 restaurantes com o nosso nome? Fácil, abre-se mais um. Não garantimos que este possa ter sido o pensamento de José Avillez, mas isso não invalida que não seja mesmo verdade a última parte do raciocínio: o chef do Belcanto, em Lisboa (duas estrelas Michelin), acaba de juntar mais um espaço ao seu império e, desta vez, quem manda é a comida típica portuguesa.

A novíssima Cantina Zé Avillez acaba de abrir portas no renovado Campo das Cebolas, na zona ribeirinha de Lisboa, e debruça-se numa área gastronómica que o super-chef ainda não tinha explorado: o receituário tradicional português na sua forma mais pura.

“A Cantina Zé Avillez abre as suas portas a todos os que vivem e trabalham em Lisboa, mas também a quem visita a cidade e o país. Aqui celebramos o nosso gosto em receber bem. A Cantina Zé Avillez é um cartão de visita de Lisboa” , explica o chef no comunicado de imprensa a que o Observador teve acesso.

A fachada do restaurante é forrada por grandes janelas viradas para o jardim do Campo das Cebolas. ©Bruno Calado/Grupo José Avillez

Neste novo espaço impera o imaginário (criado pelo chef e as decoradoras Felipa Almeida e Ana Anahory) das típicas casas e tabernas portuguesas: azulejos tradicionais, mármores de Estremoz e aquelas cadeiras simples que não há muito tempo existiam em todas os lares portugueses formam o recheio desta Cantina que procurar servir comida de conforto.

Mais concretamente, este novo restaurante tem duas salas grandes e uma zona de esplanada com vista para o jardim do Campo das Cebolas e o rio Tejo. Iluminado pela luz que entra pelas grandes janelas da fachada, poderá provar aqui pratos como bacalhau lascado com grelos, crosta de broa e alheira (15€), bitoque com ovo a cavalo e batata frita (13€), iscas finas com batata frita e cebolada (12€) ou até dobradinha com enchidos, couve e feijão (12€). Estes são alguns dos pratos principais presentes na ementa, mas há mais: no capítulo das entradas (vai poder ficar-se por aqui, se pretender apenas petiscar qualquer coisa) há mãozinhas de vitela com grão e enchidos (6€), saladinha de polvo e batata doce (7,50€) ou até um escabeche de pato com batata palha (6,50€). E sobremesa? Também há: experimente o toucinho do céu (4€) ou bolo de chocolate (4€).

O bife do lombo na frigideira (24,50€) da Cantina Zé Avillez. ©Bruno Calado/Grupo José Avillez

A juntar a isto tudo há uma vertente da ementa mais virada para os almoços rápidos — o próprio Grupo José Avillez assume que este é um espaço pensado para os lisboetas, se bem que estrangeiros são mais que bem vindos –, onde encontra simples salgados como pastéis de bacalhau (2€, 2 unidades), empadas de alheira (3€, 2 unidades); ou até o tradicional prego com alho e mostarda (4€).

Contudo, aquela que será talvez a maior surpresa desta novidade é o facto de todos os fins-de-semana haver cozido à portuguesa ao almoço. Sim, é verdade, leu bem. Cozido à portuguesa — e não, não é aquela célebre versão que o chef serve no Belcanto e que cabe numa simples tigela. É um cozido “à séria”, com chouriço de carne, morcela de cozer e de assar, farinheira da Beira, aba de novilho, entrecosto, mãozinha de vitelo, pernil fumado, orelha, focinho e barriga de porco (todos fumados), couve lombarda, nabo, cenoura, batata, feijão branco e arroz do cozido (tudo isto por 25€ por pessoa).

O espaço ainda está no chamado soft-opening, mas já estará mais que disponível para o receber. Em podendo, é passar por lá e experimentar tudo.

Cantina Zé Avillez
Rua dos Arameiros, 15, Lisboa. 215 80 76 25. Das 12h às 24h (não fecha). 30€ (preço médio)

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.