Sondagens

Sondagem coloca PS perto da maioria absoluta e dá subida ao PSD de Rui Rio

507

Numa sondagem do Expresso e SIC publicada esta sexta-feira, o Partido Socialista está perto da maioria absoluta, mas os sociais-democratas têm a maior subida desde 2015.

JOSÉ COELHO/LUSA

Uma sondagem do Expresso e da SIC publicada esta sexta-feira coloca o PS perto da maioria absoluta, com 41,5% das intenções de voto, e dá uma subida de 1,5 pontos percentuais ao PSD no primeiro mês da liderança de Rui Rio. Os sociais-democratas recolhem 28,4% das intenções de voto.

Esta é a maior subida do PSD desde 2015, nota o Expresso, sublinhando que nem os vários casos que têm afetado os sociais-democratas após o congresso do mês passado — como a escolha de Elina Fraga para a direção ou a polémica em torno do currículo académico de Feliciano Barreiras Duarte — fizeram o partido perder apoio.

Porém, o PS vai-se aproximando da maioria absoluta, conquistando novamente mais de 40% das intenções de voto.

O Bloco de Esquerda aparece em terceiro lugar com 7,7% das intenções de voto; a CDU é quarta força, com 7,3%; o CDS está em quinto, com 6,6%, com base em opiniões que foram já recolhidas após o congresso do partido. O PAN aparece em último entre os partidos com representação parlamentar, com 1,5% das intenções de voto.

A sondagem mediu também a popularidade das principais figuras da política nacional: o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, conquistou um saldo de popularidade (diferença entre as opiniões negativas e as positivas) positivo de 63,9%, uma subida de 0,6 pontos percentuais face à última sondagem; o primeiro-ministro, António Costa, tem um saldo positivo de 34,2%, tendo subido 0,7 pontos percentuais; Rui Rio tem um saldo também positivo, de 10,3%.

O Parlamento, Assunção Cristas, Jerónimo de Sousa, o Governo e Catarina Martins aparecem de seguida no “ranking” da popularidade, todos com saldos positivos.

Com saldo negativo parece estar a Justiça. Os juízes têm um saldo de popularidade negativo, de -14,7%, e o Ministério Público tem um saldo de -18,4%.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Winston Churchill

A arrogância da ignorância /premium

João Carlos Espada

Como devemos interpretar que um dirigente do segundo maior partido britânico venha dizer em público que o líder do mundo livre durante a II Guerra, Winston Churchill, foi um “vilão”?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)