Robin Williams terá assediado a atriz com quem contracenou numa série nos anos 70/80. “Ele fez-me das coisas mais grosseiras”, afirmou Pam Dawber, que desvalorizou a situação. “Mas nunca fiquei ofendida.”

A atriz, que trabalhou com o ator em “Mork & Mindy” entre 1978 e 1982, fez estas declarações ao jornalista do New York Times, Dave Itzkoff, autor de uma biografia sobre Williams e que será editada no próximo mês de maio. O ator ficou conhecido do grande público com esta série, mas ganhou o estatuto de estrela de Hollywood com filmes como “Bom Dia, Vietname” (1987), “O Clube dos Poetas Mortos” (1989), “Mrs. Doubtfire” (1993) e “O Bom Rebelde” (1997), com o qual venceu o Óscar de Melhor Ator Secundário.

Entre as várias acusações, Pam Dawber, atualmente com 66 anos, refere que o ator a apalpou e ficou nu à sua frente. Itzkoff dá ainda conta de que Williams, que se suicidou em 2014, chegou a beliscar o rabo de uma atriz, que interpretava a avó da Dawber. “Ele olhava ti, de uma forma divertida, e de repente apalpava-te os seios e fugia. E de alguma maneira saia impune. Afinal, eram os anos 70”, afirmou Pam Dawber, citada pelo Daily Mail.

Ainda assim, a atriz desvalorizou o que se passou, descrevendo Williams como uma “excelente pessoa” com um “coração gigante”. “Eu gostava muito do Robin e ele gostava muito de mim”, disse.

Pam Dawber e Robin Williams em 2000 (Chris Weeks/Liaison)

E o mesmo fizeram o realizador e produtor da série. “Era apenas o Robin a ser o Robin”, afirmou o realizador Howard Storm, acrescentando que o ator apalpava Pam Dawber porque estava “aborrecido”. “Ele era capaz de estar a representar e a meio de um parágrafo, virava-se e apalpava-lhe o rabo ou apalpava-lhe os seios e recomeçávamos. Eu dizia: ‘Robin, não há nada no guião que diga para apalpares o rabo da Pam’. E ele dizia: ‘Ah, ok’.”

“O objetivo da vida dele era fazer a Pam Dawber corar”, acrescentou o produtor Garry Marshall.