O Grindr partilhou com outras empresas dados sobre os seus utilizadores, nomeadamente informações clínicas relativamente ao VIH e a última vez que se submeteram a testes.

A informação foi avançada esta segunda-feira pelo Buzzfeed, que cita Antoine Pultier, um investigador de uma organização sem fins lucrativos norueguesa, a SINTEF.

A aplicação de encontros homossexuais, que tem cerca de 3,6 milhões de utilizadores, partilhou com a Apptimize e a Localytics, duas empresas que ajudam à otimização de aplicações, algumas informações que as pessoas incluíram nos seus perfis, nomeadamente dados de GPS, email, número de telefone e informação sobre o estado de infeção de VIH.

“O estado relativamente ao VIH está ligado a todas as outras informações. O principal problema é esse. Acho que isto é incompetência de alguns dos programadores que enviam tudo, incluindo informações sobre o VIH”, afirmou Antoine Pultier.

Esta notícia surge semanas depois do escândalo Cambridge Analytica, em que a empresa foi acusada de recolher cerca de 50 milhões de dados de perfis do Facebook para prever como as pessoas iriam votar nas presidenciais norte-americanas de 2016.

Num comunicado, o diretor técnico do Grindr afirmou que a empresa “nunca vendeu e jamais irá vender informação pessoal e passível de identificação — especialmente informação relativamente ao VIH ou ao último teste clínico — a terceiros ou anunciantes”.

Scott Chen acrescenta ainda que os serviços das empresas Apptimize e Localytics ajudam a otimizar a aplicação, mas que estas “estão sujeitas a um contrato muito rigoroso em que se comprometem a providenciar os mais elevados níveis de confidencialidade, segurança de dados e privacidade”. E recorda que o Grindr é um “fórum público” que dá a possibilidade ao utilizador de partilhar informação sobre o próprio e que as políticas de privacidade explicam que se uma pessoa “escolhe partilhar esta informação no perfil, a informação também se torna pública”.

“Enquanto empresa que serve a comunidade LGBTQ, temos noção do quão sensível é o conhecimento por parte de terceiros do estado de infeção por VIH. O nosso objetivo é e sempre foi apoiar a saúde e a segurança dos nossos utilizadores a nível mundial.”