Existem jogadores perfecionistas. Que quando termina o treino, gastam mais umas horas a trabalhar alguns aspetos específicos. Que quando termina o treino, começa outro. Que quando termina o treino, já se estão a preparar para o seguinte qualquer que seja a sua proximidade temporal. Mas também existem jogadores perfecionistas que mostram isso mesmo de outras formas e Bruno Fernandes é mais um desses casos à parte.

As pernas não disfarçaram o calcanhar de Aquiles mas há sempre aquele pé direito (a crónica do Portimonense-Sporting)

“Antes dos jogos não durmo mal, sonho é muito, principalmente com futebol. A minha prioridade também se revela aí, sou muito focado. Partilhava o quarto com o meu irmão, por isso ele sabe mais histórias do que qualquer outra pessoa em relação a esse tema. Mas ainda hoje a minha mulher diz que reclamo durante o sono ‘Passem-me a bola!’. É como se estivesse mesmo dentro do jogo (…) Quando dormia com o meu pai, cheguei a acordar e vê-lo no chão. Dava-lhe chutos”, confidenciou numa entrevista ao jornal do clube no início da temporada.

Agora, uns meses depois, o número 8 não precisa de reclamar para lhe passarem a bola: ou ela vai ter consigo ou fazem questão de entregá-la de bandeja. E essa diferença em campo contribui para que possa sonhar cada vez mais alto. Ele, Bruno Fernandes, e o Sporting, quando faltam apenas três encontros para o final da temporada.

O rapaz que sonha muito antes dos jogos e reclama a dormir que lhe passem a bola

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo as contas do Playmakerstats, é preciso recuar a 2010 para se encontrar um médio a bisar com um golo decisivo e que curiosamente também chegou ao Sporting via Itália: o chileno Valdés, que passara antes por Bari, Fiorentina, Lecce e Atalanta, onde conseguiu algum estatuto (já agora, o adversário foi a U. Leiria, 2-1). E a 2003, se quisermos encontrar um caso semelhante mas em português: Pedro Barbosa (P. Ferreira). O atual comentador da TVI, que foi durante alguns capitão do conjunto verde e branco, deixou inúmeros registos de relevo em Alvalade mas houve um que foi esta noite superado por Bruno Fernandes: 15 golos numa só temporada.

Com os dois golos obtidos frente ao Portimonense, naquele que foi o terceiro bis da temporada depois de Guimarães (5-0) e Astana (3-3), o internacional português tornou-se o primeiro médio português do Sporting a marcar pelo menos 16 golos numa só temporada nos últimos 46 anos, igualando o feito de Peres, outro nome com história em Alvalade (além de ter estado no Mundial de 1966, sem chegar a ser utilizado, ganhou dois Campeonatos e uma Taça de Portugal, apontando sete golos na maior goleada de sempre em provas nacionais: 21-0 ao Mindelense).

Desta forma, e olhando para os números históricos do Sporting, Bruno Fernandes ficou apenas a dois golos de igualar o registo dos médios portugueses do clube mais eficazes numa só temporada (quando tem ainda três jogos pela frente): Canário, em 1942, e Peres, em 1971. Acima deles, apenas Krassimir Balakov, uma espécie de Deus de uma geração que encantou com o seu pé esquerdo nos anos 90. Até onde chegará este pé direito?

“Foi uma noite boa para nós. Estou muito feliz pelos dois golos mas porque deram a vitória à nossa equipa e queríamos muito conquistar os três pontos. Quebra física? A equipa não caiu, tivemos forças até ao fim e marcámos. O Portimonense é uma boa equipa, tem grandes jogadores, e criou-nos muitas dificuldades. Derrota do Benfica? O nosso objetivo era ganhar este jogo, agora é ganhar o próximo. Sabíamos que se ganhássemos passávamos para o segundo lugar, mas isso não alterou nada. Mundial? Tenho esse sonho, mas o meu objetivo é ajudar a equipa a somar o máximo de pontos possíveis pelo Sporting”, destacou na flash interview após o jogo o médio que leva tantos golos na primeira época em Alvalade como em três e meia entre Udinese e Sampdória (16).

“Já tinha dito que o Bruno Fernandes era o médio deste campeonato. Dá-me gozo, sinto-me orgulhoso de vê-lo a jogar a um nível acima da média, porque era um jogador que estava em Itália, jogava de vez em quando e eles não viam nada nele. Consegui ver alguma coisa, felizmente que está aqui mais um jackpot para o Sporting. Nem foi o seu melhor jogo, mas fez os dois golos e esteve determinante”, destacou o técnico Jorge Jesus.