Rádio Observador

ADSE

ADSE vai passar a verificar facturas junto do fisco

322

Decreto de lei de execução orçamental define que o sistema de saúde dos funcionários públicos passe a fazer maior cruzamento de informações e a apertar o controlo a facturas apresentadas.

MARIO CRUZ/LUSA

O decreto de lei de execução orçamental publicado esta terça-feira define que o sistema de saúde dos funcionários públicos passe a verificar junto da Autoridade Tributária as faturas que lhe chegam dos beneficiários. A ADSE é alvo de várias alterações legislativas do documento aprovado pelo Governo no final de abril mas que só foi agora publicado em Diário da República.

Uma das alterações prevista é ao nível da cooperação da ADSE com outros serviços do Estado e é onde se determina que o sistema passe a verificar as faturas que “lhe são apresentadas para pagamento de cuidados de saúde prestados aos seus beneficiários quer em regime livre, quer em regime convencionado, no sistemas de e-fatura, junto da Autoridade Tributária e Aduaneira“. Este cruzamento de informações vai permitir controlar se as despesas são efetivamente efetuadas pelos beneficiários que as apresentam. O protocolo para que isto passe a acontecer vai ser definido nos próximos 30 dias.

Além disso, será também estabelecido um protocolo de cooperação com o Instituto de Segurança Social, para que a ADSE tenha também informação sobre “rendimentos, registo de remunerações, pensões do regime contributivo ou prestações sociais” dos beneficiários familiares.

O Governo define ainda, através do decreto de execução orçamental, que a partir desta quarta-feira os beneficiários do sistema a quem sejam pedidos documentos adicionais para justificar despesas tenham um prazo para o fazer. Até agora não existia este prazo que passa a ser de 60 dias. Há também alterações ao nível da modernização do sistema: “A ADSE pode disponibilizar ferramentas digitais de receção do pedido de reembolso que dispensem a entrega e o envio dos documentos originais de suporte”. Os beneficiários têm de guardar estes documentos “durante cinco anos” para que possam ser apresentados à ADSE sempre que isso lhe seja solicitado.

No relatório do Orçamento do Estado para 2018, o Governo sublinhava “o impacto que o absentismo (e emergente presentismo) [devido às baixas médicas] representa na conjuntura atual, pelo elevado custo humano e orçamental para o país”. Nessa altura, o Governo determinou como objetivo para este ano poupar 60 milhões de euros com medidas para controlar as faltas na função pública.

Reduz o prazo de reclamação de subsídios de doença pagos indevidamente

Também há mudanças ao nível de subsídios de doença, maternidade, paternidade e adoção e morte pagos pela Segurança Social, com o decreto do Governo a reduzir de dez para cinco anos o prazo para o Estado poder pedir a restituição das prestações pagas indevidamente. A nova regra tem entrada em vigor imediata e com efeitos retroativos, já que se aplica “a prazos em curso, sendo considerado o tempo já decorrido” para o pedido de restituição.

No subsídios de sobrevivência determina-se que se aplicam sem limite de idade não só a pessoas com deficiência que recebam prestações familiares, mas também aos que aufiram a prestação social para a inclusão, que foi criada no Orçamento do Estado para este ano.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rtavares@observador.pt
Saúde

Choque de Gestão na ADSE

Rui Nunes
327

É exigência ética que os recursos que os funcionários e agentes do Estado colocam à disposição do conselho diretivo sejam usados de forma eficiente para garantir a sustentabilidade deste subsistema.

Política

Portugal: um país anestesiado

José Pinto
138

A um país anestesiado basta acenar com o Simplex, versão revisitada. Ninguém vai questionar. A anestesia é de efeito prolongado. O problema é se o país entra em coma.

Política

Bem-vindo Donald Trump, António Costa merece!

Gabriel Mithá Ribeiro
121

A direita em Portugal, e o PSD muito em particular, nunca foram capazes de afirmar um discurso sociológico autónomo. CDS-PP e PSD insistem em nem sequer o tentar, mesmo quando se aproximam eleições.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)