São 268 metros quadrados de luxo com três quartos, duas casas de banho, uma lareira, um jardim, uma piscina e uma pequena casa de hóspedes. Tem o tecto forrado com vigas de madeira, pavimentos de cerâmica, decoração neocolonial e um terreno adjacente com dois mil metros quadrados por onde passa um riacho. Este chalé de luxo em segunda mão fica na Serra de Guadarrama de Madrid e custou 615 mil euros. Mas comprá-lo pode sair mais caro do que parece aos novos proprietários: Pablo Iglesias, secretário-geral do partido de extrema esquerda espanhol Podemos, arrisca a liderança do partido depois de o ter adquirido.

Desde que descobriram estar à espera de gémeos que Pablo Iglesias e Irene Montero, namorada do líder e porta-voz do partido, decidiram procurar por uma casa maior para acolher os filhos e os três cães. O casal deixou para trás as casas que tinham em Rivas-Vaciamadrid e Vallecas, muito perto de Madrid, para procurar um putro local onde pudessem constituir família. Encontraram esta casa, que fica perto da escola que as crianças vão frequentar e que tem “um dos preços mais acessíveis da zona”, onde o preço médio por metro quadrado é de 1.410 euros, segundo informa o site Idealista.

A notícia da compra não caiu bem aos membros do Podemos, que consideram que comprar um chalé de luxo por 615 mil euros é uma afronta a tudo o que o partido defende: “O código de ética do Podemos não é uma formalidade. É um compromisso em viver como as pessoas de trabalho para que as possamos representar”, disse José María González, presidente da câmara de Cádiz e membro do Podemos. É por isso que tanto Pablo Iglesias como Irene Montero se vão submeter a um voto de confiança: “Se quiserem nós demitimo-nos”, disse o casal.

Além do chalé de luxo, Pablo Iglesias também é proprietário de um Dacia Sandero Steepway avaliado em 12 mil euros e de uma mota de 2012, cujo modelo não é revelado mas que consta no portal de transparência do Podemos, onde os membros detalham todos os bens que possuem. No caso de Pablo Iglesias, o líder do partido recebe ainda um salário de 2.122,80 euros pelo cargo que ocupa no Congresso — um valor igual ao da namorada, que é a porta-voz.

A decisão de comprar o chalé está a ser ainda mais criticada porque o próprio Pablo Iglesias publicou um tweet em 2012 com a mensagem: “Entregarias a política económica do país a quem gasta 600 mil euros num apartamento de luxo?”, numa crítica ao ministro da Economia da altura. Agora é o Facebook que responde, desta vez criando um evento chamado “Churrasco na mansão do Pablo Iglesias e Irene Montero”. Supostamente acontece a 2 de junho e está a servir de sátira à polémica.