O CEO da Audi, Rupert Stadler, abriu o jogo numa entrevista ao jornal alemão Augsburger Allgemeine, no que respeita à actual situação da marca que lidera. Stadler começou por admitir que não exclui mais chamadas às oficinas de veículos não condicentes com as normas antipoluição, isto depois de ter realizado um recall de 60.000 unidades por não estarem em conformidade, situação que foi descoberta durante o mês de Maio.

Afirmou o CEO que apesar de “já terem passado dois anos e meio sobre a descoberta do problema, conhecido como Dieselgate, continuamos a descobrir problemas relativos às emissões, o que nos leva a contactar de imediato o regulador”, para que a situação seja sanada. É a frequência como que isto acontece que lhe permite antever que o problema com “a crise dos diesel não tenha ainda terminado”.

Mas Stadler não terminou a entrevista sem prometer que está decidido a levar até ao fim o caminho que encetou, colocando um ponto final sobre os rumores que o davam como estando em vias de ser afastado da direcção da Audi, o que já foi igualmente desmentido pela administração. “Sinto a responsabilidade e, enquanto tiver a confiança e o suporte da administração, aceito o desafio para resolver o problema até ao fim”, afirma Rupert Stadler.