Presidente Trump

Melania pressiona Trump e faz visita surpresa a centro de detenção infantil na fronteira

226

Primeira-dama fez visita surpresa a um centro de detenção e voltou a colocar pressão para que crianças não sejam separadas das famílias na fronteira com o México. "Como posso ajudar?", perguntou.

KAZUHIRO NOGI / POOL/EPA

A primeira-dama dos EUA, Melania Trump, fez esta quinta-feira uma visita surpresa a um centro de detenção infantil em MacAllen no Texas, junto à fronteira com o México. Segundo a CNN, a viagem foi preparada em 48 horas e foi Melania tomou a iniciativa de viajar sozinha, dando ordens ao seu gabinete para preparar a viagem. Trump não terá tido influência nesta decisão, em mais um sinal de que o casal presidencial está em dissonância sobre este assunto. Ao chegar ao centro, Melania questionou os funcionários, como forma de colocar pressão: “Como posso ajudar para juntarmos estas crianças o mais rapidamente possível às suas famílias?“.

A forma como a porta-voz de Melania, Stephanie Grisham, descreveu a viagem sugere que Donald Trump limitou-se a aceitar um facto consumado: “A decisão de viajar foi dela. Ela disse à sua equipa que queria ir e nós preparámos tudo. Ele [Presidente Trump] apoia, mas ela disse-lhe: ‘Estou a caminho do Texas’.

Stephanie Grisham disse que a primeira dama quer ver in loco e sem qualquer filtro o que se passa na fronteira. “As imagens atingiram-na como mãe, como ser humano e também como primeira-dama”, disse Grisham, acrescentando: “Ela queria ver ao vivo o que estava a ver na TV. Ela quer ver o que é real, ela quer ter uma visão realista do que está a acontecer.

Além do centro de detenção, a primeira-dama vai também visitar os Serviços Sociais Luteranos do Sul, uma instalação com cerca de 60 crianças, aproximadamente metade do sexo masculino, metade do sexo feminino, entre 5 e 17 anos. As crianças são na maioria adolescentes, mas também há crianças.

Ao chegar ao centro de detenção, Melania fez uma curta declaração onde diz estar feliz por estar ali e ansiosa para ver as crianças. Em primeiro lugar, a primeira-dama começou por agradecer aos funcionários do centro pelo “trabalho heroico que fazem todos os dias e o que fazem por estas crianças”. E acrescentou:

Todos nós sabemos que as crianças estão aqui sem as suas famílias, e quero agradecer-vos pelo vosso trabalho árduo, pela compaixão e carinho que dão a estas crianças nestes tempos difíceis. Estou aqui para perceber como funcionam as vossas instalações, que sei que abrigam crianças a longo prazo. E também gostaria de perguntar como posso ajudar estas crianças a encontrarem-se com suas famílias o mais rápido possível”.

A primeira dama tem sido uma das vozes críticas do que se está a passar na fronteira com o México. No domingo à noite, a porta-voz de Melania disse à CNN: “A senhora Trump detesta ver crianças separadas das suas famílias”. E acrescentou: “Ela acredita que temos de ser um país que cumpre as leis, mas também um país que governa com coração.”

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpantunes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)