O incêndio que deflagrou este domingo num parque de madeira no exterior da empresa de celulose Celtejo, em Vila Velha de Ródão, está a ser combatido há mais de duas horas, mas sem ameaçar a fábrica. Três bombeiros tiveram ferimentos ligeiros.

Embora constituam algum risco para as instalações fabris, as chamas “estão confinadas ao parque de estilha de madeira”, instalado ao ar livre, no perímetro da unidade fabril, que funciona há décadas naquela vila do distrito de Castelo Branco, junto ao rio Tejo.

O incêndio está confinado, mas, segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro de Castelo Branco, vai demorar ainda “muitas horas” para ser apagado por estar concentrado num grande monte de madeira.

Os três feridos ligeiros, todos bombeiros, já foram assistidos no hospital e Castelo Branco, estando neste momento sobre observação. Um dos ferimentos foi devido a uma queda, os outros dois foi devido à inalação de fumos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Desconhece-se ainda as causas do fogo, cujo alerta foi dado às 13h59 de domingo, adiantou a mesma fonte, considerando que o domínio das chamas vai exigir muito trabalho e “demorar bastante tempo”. No final deste domingo, o incêndio já estava na fase de extinção.

No combate ao incêndio estão envolvidos 110 operacionais, apoiados por 44 veículos e 2 meios aéreos, informou ao Observador responsável do Comando Distrital de Operações de Socorro de Castelo Branco.

Os meios mobilizados para o local são oriundos de diversas corporações de bombeiros, designadamente de Castelo Branco, Covilhã, Idanha-a-Nova, Oleiros, Proença-a-Nova e Sertã, para além de Vila Velha de Ródão.