Ryanair

Ryanair envia email a quem fez greve: “Será tido em conta quando for para avaliar promoções e transferências”

359

A Ryanair contactou os trabalhadores que aderiram à greve europeia. Avisou que poderiam ser prejudicados em promoções e pedidos de transferências. A Ryanair recusa falar "mais sobre este tema".

Uma próxima greve dos pilotos irlandeses da Ryanair está agendada para dia 3 de agosto

STEPHANIE LECOCQ/EPA

A Ryanair voltou a dar mais um passo no longo caminho de polémicas em torno da companhia aérea irlandesa. Durante a greve de 25 e 26 de julho — a primeira a nível europeu na transportadora –, a Ryanair enviou um email a todos os tripulantes de cabine que aderiram à greve a avisar que quem não compareceu poderá ser prejudicado.

Todos as ‘não-comparências’ serão tidas em conta, bem como todos os fatores relevantes do seu desempenho, quando for para avaliar promoções e oportunidades de transferências“, pode ler-se no email enviado.

A companhia aérea assumiu que terá em conta a adesão de cada um dos trabalhadores à greve, quando tiver de decidir possíveis promoções ou deliberar pedidos de transferências de uma base aérea para a outra. A Ryanair explicou, no email ao qual o Observador teve acesso, que o facto de os tripulantes terem aderido à greve europeia desta semana é registado como uma “não-comparência” ao serviço. “Uma vez que a sua ausência não foi autorizada, fica identificada no seu registo como uma ‘não-comparência'”, explica a transportadora aérea no email.

O Observador questionou a Ryanair sobre o email enviado aos tripulantes que aderiram à greve. A resposta foi clara: “Não estamos de momento a tecer mais comentários sobre este tema.”

Avisos como estes por parte da Ryanair não são novidade. Quando, no final do ano passado, a companhia aérea começou a enfrentar os primeiros movimentos grevistas, o responsável pelo recursos humanos, Eddie Wilson, enviou uma carta a todos os trabalhadores que pensassem aderir à greve, ameaçando-os com “perda de futuros aumentos salariais, de transferências ou promoções.”

Antes da greve, a Ryanair já tinha enviado um email aos tripulantes para perceber se vão aderir à greve, incentivando-os a apresentarem-se ao trabalho. Logo nesse email,  a companhia avisava que quem aderisse à greve não seria pago e iria perder “o bónus de produtividade de julho no valor de 150 euros“, destacando que o prejuízo para os trabalhadores que adiram à greve podem ir dos 360 aos 480 euros.

Nos dias 25 e 26 de julho, os  trabalhadores da companhia aérea com base em Portugal, Espanha e Bélgica aderiram àquela que foi a primeira a nível europeu. Apesar de ter sido a primeira a nível europeu, foi a quinta greve a acontecer na companhia aérea irlandesa e a quarta num só mês.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbranco@observador.pt
10 de junho

A função social da esquerda /premium

Rui Ramos

Talvez a direita, noutros tempos, tenha tido o papel de nos lembrar que não somos todos iguais. As reacções ao discurso de João Miguel Tavares sugerem que essa função social é hoje da esquerda.

PAN

A culpa como arma final /premium

André Abrantes Amaral

Antes o pecador ia para o Inferno; agora destrói a Terra. A Igreja falava em nome de Deus; o PAN fala em nome do planeta. Onde foi buscar tal ideia é o que a democracia tem tido dificuldade em perguntar

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)