Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Só num trimestre, as receitas da Apple foram de 53,3 mil milhões de dólares (cerca de 45 mil milhões de euros), anunciou a gigante tecnológica esta terça-feira em comunicado. Em relação ao período homólogo de 2017, a empresa de Cupertino viu um aumento de 17% das receitas tendo dado um passo mais largo para se tornar a primeira empresa a valer um milhão de milhões, tendo chegado a uma valorização de 935 mil milhões de dólares (que se espera que suba esta quarta-feira).

Estamos muitos entusiasmados por anunciar que a Apple teve o melhor trimestre de junho de sempre e o quarto trimestre consecutivo com crescimento de receitas em dois dígitos”, afirmou Tim Cook, presidente executivo da Apple, em comunicado.

Segundo Tim Cook, estes resultados devem-se às vendas dos iPhone, serviços (como o Apple Music ou a AppStore) e os Wearables (como o iWatch, o relógio inteligente da marca ou os airpods, uns auriculares sem fios). Como revela o The Guardian, estes resultados mostram que a Apple vendeu, só neste trimestre, cerca de 41,3 milhões e iPhones (no ano passado, no mesmo período, tinha vendido cerca de 41).

A empresa divulgou ainda que espera que no próximo trimestre as receitas se situem entre o 60 e 62 mil milhões de dólares (entre 51 e 53 mil milhões de euros). Como refere Luca Maestri, em receitas líquidas, a Apple conseguiu cerca de 11,5 mil milhões de dólares (cerca 9,8 mil milhões).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Espera-se para setembro, no habitual evento anual da empresa para apresentar novos produtos, o anúncio de novos modelos do iPhone, o que poderá aumentar o valor da Apple para o milhão de milhões. Após o anúncio desta terça-feira, já no fecho da bolsa, as ações da californiana subiram 2,4%.

Os resultados da Apple surgem depois de outras tecnológicas de Silicon Valley, como o Facebook e a Google, terem apresentado resultados menos fortes. No caso do Facebook, registou-se uma queda de 20% no valor das ações após o anúncio.