Só num trimestre, as receitas da Apple foram de 53,3 mil milhões de dólares (cerca de 45 mil milhões de euros), anunciou a gigante tecnológica esta terça-feira em comunicado. Em relação ao período homólogo de 2017, a empresa de Cupertino viu um aumento de 17% das receitas tendo dado um passo mais largo para se tornar a primeira empresa a valer um milhão de milhões, tendo chegado a uma valorização de 935 mil milhões de dólares (que se espera que suba esta quarta-feira).

Estamos muitos entusiasmados por anunciar que a Apple teve o melhor trimestre de junho de sempre e o quarto trimestre consecutivo com crescimento de receitas em dois dígitos”, afirmou Tim Cook, presidente executivo da Apple, em comunicado.

Segundo Tim Cook, estes resultados devem-se às vendas dos iPhone, serviços (como o Apple Music ou a AppStore) e os Wearables (como o iWatch, o relógio inteligente da marca ou os airpods, uns auriculares sem fios). Como revela o The Guardian, estes resultados mostram que a Apple vendeu, só neste trimestre, cerca de 41,3 milhões e iPhones (no ano passado, no mesmo período, tinha vendido cerca de 41).

A empresa divulgou ainda que espera que no próximo trimestre as receitas se situem entre o 60 e 62 mil milhões de dólares (entre 51 e 53 mil milhões de euros). Como refere Luca Maestri, em receitas líquidas, a Apple conseguiu cerca de 11,5 mil milhões de dólares (cerca 9,8 mil milhões).

Espera-se para setembro, no habitual evento anual da empresa para apresentar novos produtos, o anúncio de novos modelos do iPhone, o que poderá aumentar o valor da Apple para o milhão de milhões. Após o anúncio desta terça-feira, já no fecho da bolsa, as ações da californiana subiram 2,4%.

Os resultados da Apple surgem depois de outras tecnológicas de Silicon Valley, como o Facebook e a Google, terem apresentado resultados menos fortes. No caso do Facebook, registou-se uma queda de 20% no valor das ações após o anúncio.