Um sismo de magnitude 3.3 na escala de Richter teve epicentro 60 quilómetros a sul de Olhão e ocorreu às 17h30 desta segunda-feira. O sismo ocorreu no mar, na zona do Golfo de Cádiz, que fica entre Cabo de Santa Maria e o Cabo de Trafalgar (Espanha).

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o sismo foi registado nas estações da Rede Sísmica do Continente. Até ao momento não há informação sobre se o abalo foi sentido em terra.

Este não foi o primeiro sismo registado nesta região este ano. O número de terramotos sentidos em janeiro está “acima da média”.A atividade sísmica mais intensa foi atribuída à circunstância de a placa tectónica africana estar a comprimir a micro-placa Ibérica, onde se localiza Portugal. Esta pressão está a originar várias falhas no território nacional, o que resulta num aumento da atividade sísmica em Portugal continental. Ainda assim, o IPMA considerou já que é “pouco provável” que o número de sismos esteja a aumentar.

Um estudo publicado no ano passado previa que 2018 poderia ser um ano com mais sismos devido à desaceleração da rotação do planeta. Este estudo foi criticado pela comunidade científica que afirma que este fenómeno pode ser justificado por outros fatores, como alterações nas correntes oceânicas, os movimentos no manto do planeta ou a transferência de momento linear (aquilo a que normalmente chamamos de balanço) do núcleo para a litosfera da Terra.