Stephen Hawking

O último artigo científico de Stephen Hawking foi tornado público

104

O último documento científico com a assinatura de Stephen Hawking foi revelado esta quinta-feira. O trabalho ficou completo nos últimos dias de vida do mítico cientista.

Getty Images

O último artigo científico em que Stephen Hawking participou foi revelado esta quinta-feira pelos restantes autores do trabalho. O documento visa ajudar a compreender o que acontece à informação quando os buracos negros sugam todos os objetos em seu redor. Este dilema tem sido abordado pela comunidade científica e é conhecido como “o paradoxo da informação“.

O estudo, intitulado Black Hole Entropy and Soft Hair,  foi colocado online esta manhã e já está a ser analisado um pouco por todo o mundo, havendo inclusive artigos que explicam a importância destes contributos para compreender o dilema. Ao longo da sua carreira, Hawking defendeu que, ao contrário das teorias iniciais que partiram originalmente de Albert Einstein, nem toda a matéria que é sugada por um buraco negro deixa de existir para sempre. A corrente que segue o cientista que morreu a 14 de março deste ano acredita que parte da informação fica sempre preservada.

Foi seguindo esta ótica que o último trabalho de Stephen Hawking foi elaborado. O grupo de trabalho sugere que qualquer matéria que seja sugada por um buraco negro pode alterar a sua temperatura e consequentemente a sua entropia. Mesmo que o objeto em causa acabe por ser destruído, a informação que continha pode continuar presente na entropia do buraco negro.

Este contributo pode ser determinante para validar a visão de Hawking, que defendia que a informação dos objetos nunca desaparece. “Não sabemos se a entropia, como diz Hawking, é responsável por tudo o que entra num buraco negro, e este é um passo que vai nesse sentido”, explicou ao The Guardian Malcolm Perry, professor da Universidade de Cambridge e co-autor deste trabalho. “No entanto, acreditamos que é um bom passo. Ainda há muito trabalho a ser feito”, concluiu.

Esta é a mais recente novidade em torno do cientista que faleceu este ano, deixando para trás um vasto legado sobre o estudo do universo, da sua origem e de buracos negros. Já em março deste ano, poucos dias depois de Haking ter falecido, tinha sido divulgada uma teoria sobre a existência de um multiverso. Esse trabalho foi então apresentado como sendo o seu último. Afinal, havia outro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)