Stephen Hawking

O último artigo científico de Stephen Hawking foi tornado público

105

O último documento científico com a assinatura de Stephen Hawking foi revelado esta quinta-feira. O trabalho ficou completo nos últimos dias de vida do mítico cientista.

Getty Images

O último artigo científico em que Stephen Hawking participou foi revelado esta quinta-feira pelos restantes autores do trabalho. O documento visa ajudar a compreender o que acontece à informação quando os buracos negros sugam todos os objetos em seu redor. Este dilema tem sido abordado pela comunidade científica e é conhecido como “o paradoxo da informação“.

O estudo, intitulado Black Hole Entropy and Soft Hair,  foi colocado online esta manhã e já está a ser analisado um pouco por todo o mundo, havendo inclusive artigos que explicam a importância destes contributos para compreender o dilema. Ao longo da sua carreira, Hawking defendeu que, ao contrário das teorias iniciais que partiram originalmente de Albert Einstein, nem toda a matéria que é sugada por um buraco negro deixa de existir para sempre. A corrente que segue o cientista que morreu a 14 de março deste ano acredita que parte da informação fica sempre preservada.

Foi seguindo esta ótica que o último trabalho de Stephen Hawking foi elaborado. O grupo de trabalho sugere que qualquer matéria que seja sugada por um buraco negro pode alterar a sua temperatura e consequentemente a sua entropia. Mesmo que o objeto em causa acabe por ser destruído, a informação que continha pode continuar presente na entropia do buraco negro.

Este contributo pode ser determinante para validar a visão de Hawking, que defendia que a informação dos objetos nunca desaparece. “Não sabemos se a entropia, como diz Hawking, é responsável por tudo o que entra num buraco negro, e este é um passo que vai nesse sentido”, explicou ao The Guardian Malcolm Perry, professor da Universidade de Cambridge e co-autor deste trabalho. “No entanto, acreditamos que é um bom passo. Ainda há muito trabalho a ser feito”, concluiu.

Esta é a mais recente novidade em torno do cientista que faleceu este ano, deixando para trás um vasto legado sobre o estudo do universo, da sua origem e de buracos negros. Já em março deste ano, poucos dias depois de Haking ter falecido, tinha sido divulgada uma teoria sobre a existência de um multiverso. Esse trabalho foi então apresentado como sendo o seu último. Afinal, havia outro.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
África do sul

África do Sul – Que Futuro?

Jaime Nogueira Pinto

Em vésperas de eleições, a República da África do Sul vive dias instáveis, entre a democracia e a cleptocracia. E radicalização de um ANC em quebra eleitoral pode por em causa os equilíbrios do regime

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves
364

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)