Lojas

Nacional ou importado? O melhor dos dois mundos em sete novas lojas

153

Há moda portuguesa, peças de designers internacionais, malhas italianas e jóias feitas aquém e além-fronteiras. Mesmo a tempo do Natal, há sete novas lojas para desbravar, em Lisboa e no Porto.

O Studio 66 junta a moda de Carlos Gil e a curadoria da Gavinho Architecture & Interiors. Conheça esta e outras novas lojas, em Lisboa e no Porto

Divulgação

Lola Wants

Avenida António Augusto de Aguiar, 140C, Lisboa. 21 586 4944. De segunda-feira a sábado, das 10h às 20h

Há coisa de um ano, assistimos a um fenómeno raro: o nascimento de uma marca de roupa interior feminina 100% nacional. A ideia acabou por ter tanto de inédita como de bem sucedida e, há menos de dois meses, a Lola Wants abriu a primeira loja física. Depois de superarem o desafio das vendas online (de dificuldade acrescida pois estamos a falar de lingerie), as empresárias Bárbara Magalhães e Sofia Samsudin levaram o seu negócio de rendas e copas para um espaço de 55 m2. E ele parece ter crescido depressa. Hoje, o leque de escolhas vai muito além dos simples conjuntos de duas peças. A marca mantém uma linha para noivas, reforçou a secção de pijamas e continua a pensar em peças específicas para mães.

A grande novidade são os provadores. Se até aqui as clientes tinham de se guiar pela tabela de tamanhos e de rezar para assertarem à primeira, a nova loja torna tudo mais simples, com todos os modelos, cores e formatos à distância de uma prova. No interior do espaço, predomina a rosa pálido com que a etiqueta foi lançada no final do ano passado. Mas não é por isso que o estilo da Lola Wants ficou mais girly e juvenil. O preto continua a pontuar a coleção, construída com base em obras cinematográficas e nas respetivas protagonistas, mas também no pressuposto de que nenhuma mulher usa sempre o mesmo tipo de lingerie. Das transparências aos metalizados, aqui, continuam a ter muito que experimentar.

Lola Wants © Filipe Ferreira

Falconeri

Rua 1º de Dezembro, 137, Lisboa. 21 342 1188. De segunda-feira a domingo, das 10h às 21h

É a primeira loja da marca italiana em Portugal e chegou mesmo a tempo da descida das temperaturas. Dúvidas houvesse, a Falconeri reafirma quem são os verdadeiros mestres europeus na produção de malhas, os italianos. Com fábrica na zona de Trentino, são as peças em caxemira a principal razão pela qual a marca conquistou uma comunidade de clientes fiéis. Isso e uma tecnologia adotada há quatro anos que lhe permite produzir peças sem costuras. Os básicos quentinhos e agradáveis ao toque estão agora disponíveis em Lisboa. A nova abertura é representativa do plano de expansão internacional da Falconeri, que conta já com 30 lojas foram de Itália.

Falconeri © Divulgação

Steve Madden

Rua D. Pedro V, 95, Lisboa. 91 549 6479. De segunda-feira a sábado, das 10h às 19h (fecha das 14h às 15h)

Por cá, o nome Steve Madden pode não soar a nada de familiar, mas, do outro lado do Atlântico, é um verdadeiro gigante da indústria do calçado. O designer fundou a sua marca em 1990 (temos uma amostra dessa fase no filme O Lobo de Wall Street), mas foi preciso esperar quase três décadas para vê-la chegar a Portugal. A boa notícia é: já chegou e está no Príncipe Real. Com sapatos para homem e mulher e apesar de, por enquanto, estar limitada a uma pequena loja de rua, a marca não se resume num único estilo. Dos ténis às botas de outono, passando por stilettos e mocassins, para Lisboa veio uma mera amostra de um império espalhado por mais de 80 países. Resta saber se, em Portugal, país internacionalmente conhecido pela qualidade dos seus sapatos, vai haver espaço para estes de design norte-americano.

Steve Madden © Louie Thain

Mesh

Largo de São Domingos, 102, Porto. 22 322 4278. De segunda-feira a sábado, das 11h às 19h30

Nem só de primeiras lojas se faz esta lista de compras. No Porto, a Mesh acaba de abrir a segunda loja na Baixa, prova de que o ramo da joalharia nacional anda a correr bem e tem clientela que já não cabe num único espaço. Depois de, em fevereiro do ano passado, ter inaugurado na Rua Ramalho Ortigão, aproximou-se dos Aliados e levou para lá os escritórios e o atelier. Quanto à fórmula (aparentemente) de sucesso, continua inalterada. As peças em prata, ouro e prata dourada caracterizam-se pela simplicidade e pela pequena escala, pelos vistos, bem ao gosto da clientela portuense.

Mesh © Divulgação

Studio 66

Praça da Alegria, 66A, Lisboa. 21 587 7391. De segunda-feira a sábado, das 10h às 19h30 (fecha das 15h às 14h)

O criador de moda português Carlos Gil veio para o centro de Lisboa, mas não está sozinho. Criado em parceria com a Gavinho Architecture & Interiors, o Studio 66 faz jus à localização. A meia dúzia de passos da Avenida da Liberdade, a moda feminina é só a face mais visível da nova loja. Por estes dias, é possível encontrar peças da coleção outono/inverno 2018 do designer, bem como uma seleção de peças das marcas Topázio, Lalique, Hermès, Erika Lima, A-morir, Raynaud e Loro Piana, algumas delas a fazerem em ponte entre a moda e a decoração e o lifestyle.

Studio 66 © Divulgação

QuartoSala

Rua da Boavista, 54, Lisboa. 21 441 1110. De segunda a sexta-feira, das 11h às 20h, e sábado, das 11h às 17h

A curadoria é portuguesa, mas a seleção de peças reúne o que de melhor se faz na área do design de interiores, um pouco por todo o mundo. A QuartoSala abriu a sua terceira loja na área da grande Lisboa. Depois de Paço d’Arcos e do Príncipe Real, o atelier dirigido por Pedro d’Orey e Clemente Rosado instalou-se mais perto do rio, num espaço com cerca de 200 m2. Do mobiliário aos pequenos acessórios decorativos, a nova loja está aberta a profissionais do ramo, mas também a clientes finais.

A amostra é completa e um reflexo de um portefólio de marcas e designers recentemente renovado. De Itália chegam as famosas Arflex, Maxalto e Zanotta. A austríaca Gebruder Thonet Vienna também está presente no novo espaço através de peças de mobiliário com um estilo bem demarcado. Já a Karakter surge em representação do tão cobiçado design escandinavo. A trazer um toque extra criativo, a britânica Established & Sons. Resumindo, uma perdição para todos os apreciadores de decoração e design. À montra internacional junta-se o português João Bruno Videira. O designer parte da manipulação de fios de lã para compor peças de mobiliário complexas. A cor é quase sempre uma assinatura.

QuartoSala © Divulgação

Calvin Klein

Centro Comercial Colombo, Lisboa. 21 715 3619. De segunda-feira a domingo, das 10h às 24h

À partida, nada de novo. Mas repare, esta é a primeira loja Calvin Klein, dedicada a joias e relógios, em Portugal. Até aqui, a marca podia ser encontrada na Boutique dos Relógios. Agora, com um espaço próprio, há lugar para trazer linhas exclusivas da marca nova-iorquina, como é o caso de algumas peças de desfile, desenhadas por Raf Simons. Distinguem-se à distância, pelas cores e pelo tamanho, em tudo contrastante com o estilo minimal e depurado que já é característico da Calvin Klein.

Calvin Klein © Divulgação

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)