Victoria's Secret

As asas de Sara Sampaio e a timidez de Isilda Moreira: as duas portuguesas no desfile da Victoria’s Secret

1.130

Sara Sampaio fez jus ao estatuto de anjo e pisou a passerelle cheia de confiança. A estreante Isilda Moreira teve uma prestação bem mais tímida no desfile desta quinta-feira à noite. Veja as imagens.

Habituada a estas andanças, Sara Sampaio sabe bem qual a atitude certa para desfilar numa noite como a desta quinta-feira. A manequim portuguesa, a primeira a desfilar para a Victoria’s Secret, entrou em cena quando um azul noturno predominava no cenário. Começou a desfilar para a marca norte-americana em 2013 e, em 2015, foi promovida à categoria de anjo, estatuto reservado a 12 das 61 manequins que compuseram o casting. Sabemos que nem sempre o título é sinónimo de um par de asas (no ano passado, para Sara, não foi), mas desta vez vingou-se.

Não teve direito a nenhum dos outfits esvoaçantes da noite, mas também não se pode ter tudo. Sara regressou à passerelle com as suas merecidas asas. No coordenado, saltou à vista o tartan vermelho (praticamente natalício). Às cuecas e ao soutien em tecido e renda, os criativos da Victoria’s Secret adicionaram um corpete e uma jaqueta com mangas compridas. Depois de uma rápida troca de roupa, surgiu com um conjunto de renda preto, com um tecido de acabamento acetinado nas copas do soutien, devidamente adornado pela armação azul que trazia às costas. Destemida, aos 27 anos Sara Sampaio desfilou como um verdadeiro anjo, pelo quarto ano consecutivo.

Para Isilda Moreira, manequim portuguesa de 20 anos, a noite foi de estreia. Isilda já tinha posado para as fotografias nos bastidores do desfile, juntamente com a modelo britânica Aiden Curtiss. Logo aí, a modelo surgiu com o cabelo mais comprido do que o habitual. Na passerelle, fez uma única aparição, na secção Pink, caracterizada por um estilo mais juvenil. De calças de fato de treino, top curto e argolas, Isilda esbanjou sorrisos, do princípio ao fim da caminhada.

Na fotogaleria, veja as imagens das duas portuguesas que desfilaram para a Victoria’s Secret, em cima da passerelle e nos bastidores.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt
Crónica

As aventuras da coerência /premium

Paulo Tunhas

Até certa altura pensei que a chamada “esquerda” era depositária da tradição de liberdade e garantia da democracia. Mas uma observação das suas reacções políticas mostra algo diferente e inquietante.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)