Victoria's Secret

Dos “mistérios insondáveis” de Shanina Shaik e Taylor Hill ao fantástico catsuit de Gigi Hadid. A “after party” da Victoria’s Secret

Tal como os Óscares têm a festa da Vanity Fair, também a Victoria's Secret tem uma "after party" à altura. Sem asas, mas fazendo jus aos atributos físicos, os anjos desfilaram pela segunda vez.

Acaba o desfile e as asas ficam arrumadas a um canto. É hora de mudar de roupa e de ir espalhar charme para a after party da Victoria’s Secret. Nestas festas, as estrelas continuam a ser as modelos, embora algumas deixem um pouco a desejar em matéria de estilo. Parece que as manequins se dividem entre as que querem continuar a mostrar os seus atributos físicos e as que preferem vestir qualquer coisa mais aconchegante, depois de terem andado para trás e para a frente só em roupa interior.

Depois há aquelas que, independentemente da opção, mais valia não terem tirado a lingerie do desfile. Entre os mistérios mais insondáveis da noite estiveram Shanina Shaik e Taylor Hill (sim, um anjo). Mas nem tudo foi mau. Houve uma Gigi Hadid de catsuit, uma Toni Garrn e uma Behati Prinsloo a fazer com que esta passadeira vermelha tenha valido a pena.

Na fotogaleria, reunimos imagens das modelos que, depois do desfile, ainda resolveram ir beber um copo.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt
Crónica

Na Caverna da Urgência

António Bento

A principal queixa do homem contemporâneo é a de uma permanente e estrutural sensação de «falta de tempo». Há uma generalização da urgência a todos os domínios da experiência e da existência moderna.

CDS-PP

O governo merece uma censura /premium

João Marques de Almeida

Se o Presidente, o PM e os partidos parlamentares fossem responsáveis e se preocupassem com o estado do país, as eleições legislativas seriam no mesmo dia das eleições europeias, no fim de Maio. 

Arrendamento

A coisa /premium

Helena Matos

Programas para proprietários que antes de regressarem à aldeia entregam ao Estado as suas casas para arrendar. Torres com 300 apartamentos. O arrendamento tornou-se na terra da intervenção socialista

Médicos

Senhor Dr., quanto tempo temos de consulta?

Pedro Afonso

Um dos aspetos essenciais na relação médico-doente é a empatia. Para se ser empático é preciso saber escutar. Ora este é um hábito que se tem vindo a perder na nossa sociedade, e nas consultas médicas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)