Ministério Da Justiça

Orçamento para funcionamento da PJ e da PGR sofre primeiro corte desde início da legislatura

526

Verba para funcionamento da Polícia Judiciária e da PGR tinham subido todo os anos com o atual governo. Em 2019 vão descer pela primeira vez em quatro anos.

MARIO CRUZ/LUSA

A Polícia Judiciária e a Procuradoria-Geral da República vão sofrer em 2019 um corte no orçamento destinado ao seu funcionamento, o que acontece pela primeira vez na atual legislatura, indica a nota explicativa da proposta do Orçamento do Estado para a Justiça. Esta nota foi enviada ao parlamento em antecipação à audição de quarta-feira da ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, no parlamento, onde vai explicar aos deputados os principais números e medidas do Orçamento para a sua área.

Desde a entrada em funções do atual governo PS (apoiado pelo Bloco de Esquerda e o PCP), em 2016, que o orçamento de funcionamento da PJ e da PGR vinha sempre em crescendo.

Para o próximo ano, o orçamento global do Ministério da Justiça atinge os 1,468 mil milhões de euros, distribuídos entre o funcionamento de serviços e organismos, no total de 1,39 mil milhões de euros, que representa 95,1% das verbas, e o investimento com 72,6 milhões de euros (4,9%).

Para o seu funcionamento, a Polícia Judiciária terá ao seu dispor em 2019 pouco mais de 113 milhões de euros, menos 1,66 milhões de euros do que os 114,7 milhões disponíveis em 2018. Trata-se de uma diminuição de 1,4%.

No OE para 2018, o dinheiro para funcionamento da PJ tinha crescido 1,9%. No ano anterior, 2017, o aumento nesta rubrica tinha sido de 3,4% e no de 2016 tinha sido de 13,4%. Em termos absolutos o orçamento da PJ para o seu funcionamento passou de 96 milhões em 2015, para 108,9 milhões em 2016, 112,6 em 2017, 114,78 em 2018 e, finalmente, baixará para 113,1 em 2019.

O mesmo acontece com o orçamentado para o funcionamento da PGR. Em 2019, a verba para funcionamento vai sofrer uma ligeira diminuição, passando de 17,75 milhões de euros para 17,66 milhões, menos 0,5%. No OE para 2016 o aumento tinha sido de 24,3%, enquanto que em 2017 foi de 5% e em 2018 5,1%. Ou seja, passou de 12,9 milhões de euros em 2015 para 16,08 milhões em 2016, 16,88 milhões em 2017 e 17,75 milhões de euros este ano. Em 2019 esta verba inscrita cai pela primeira vez em quatro anos, para 17,66 milhões de euros.

A PJ terá ao seu dispor 102,8 milhões de euros para despesas com pessoal, a PGR irá despender cerca de 14 milhões de euros e os tribunais 63,5 milhões. A nota explicativa dá conta de que a prevenção e combate à criminalidade “constituem uma clara opção do Governo para a legislatura”.

“A criminalidade, principalmente a organizada, constitui uma ameaça grave para os valores da democracia, o que requer a capacitação adequada do Ministério Público, da Polícia Judiciária e dos demais órgãos de polícia criminal, de modo a garantir a efetividade da prevenção e da reação criminal, contribuindo para a paz e a segurança do espaço nacional e europeu”, lê-se no documento.

Entre as medidas previstas pelo Ministério da Justiça destacam-se a implementação das novas orientações de política criminal, aumento dos efetivos afetos à investigação criminal na PJ, reforço dos sistemas e tecnologias de informação e aumento da capacidade para a investigação criminal, designadamente na área do cibercrime e de aquisição da prova digital.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves
364

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

África do sul

África do Sul – Que Futuro?

Jaime Nogueira Pinto

Em vésperas de eleições, a República da África do Sul vive dias instáveis, entre a democracia e a cleptocracia. E radicalização de um ANC em quebra eleitoral pode por em causa os equilíbrios do regime

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves
364

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)