A Oi registou prejuízos de 1.336 milhões de reais (cerca de 311 milhões de euros) no terceiro trimestre, um resultado líquido negativo 70 vezes superior ao registado no período homólogo de 2017, anunciou esta quarta-feira a operadora de telecomunicações.

No terceiro trimestre de 2017, a Oi tinha registado prejuízos de 19 milhões de reais (cerca de 4,4 milhões de euros, à taxa de câmbio atual).

Nos nove primeiros meses do ano, a operadora, que está em processo de recuperação judicial, registou um resultado líquido de 27.949 milhões de reais (6.559 milhões de euros), contra prejuízos de 4.338 milhões de reais (1.018 milhões de euros) no período homólogo do ano passado.

As receitas caíram 8,1% no terceiro trimestre (para 5.481 milhões de reais ou 1.286 milhões de euros) e 7,1% no acumulado dos nove primeiros meses do ano (16.695 milhões de reais ou 3.918 milhões de euros), de acordo com os dados da Oi, operadora que conta com a portuguesa Pharol entre os seus acionistas.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) diminuiu 9,1% no terceiro trimestre, face a igual período de 2017, para 1.459 milhões de reais (342 milhões de euros), e 7,1% até setembro (para 4.594 milhões de reais ou 1.078 milhões de euros).