A estrada que ruiu entre os concelhos de Borba e de Vila Viçosa ficava junto a duas pedreiras. Há duas vítimas mortais confirmadas e registo de pelo menos quatro feridos, segundo a Proteção Civil.

Uma das pedreiras estava desativada e pertencia à Plácido José Simões S.A. e outra estava ativa, pertencendo à A.L.A de Almeida. A derrocada arrastou para debaixo de um poço de água lamacenta dois trabalhadores da A.L.A. de Almeida, que trabalhavam dentro de uma retroescavadora, e pelo menos duas pessoas que seguiam em automóveis nessa estrada.

De acordo com José Ribeiro, comandante do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora, as duas vítimas mortais trabalhavam na empresa que explorava o local e foram arrastadas para dentro da pedreira por um “deslizamento de massa”, com “um grande volume de terra” e “uma quantidade significativa de blocos de mármore”

Veja as imagens do sítio na fotogaleria acima. Aqui, pode ver o antes e o depois da estrada que ruiu em Borba, no distrito de Évora.

Proteção Civil confirma duas vítimas mortais. Presidente da Câmara diz que troço entre Vila Viçosa e Borba era seguro