Justiça

Já pode consultar online os processos que tem em tribunal. E não precisa de um advogado

6.227

Está cansado de ir a um tribunal ou falar com um advogado para saber quais são os processos judiciais em que está envolvido? A partir desta quinta-feira, qualquer cidadão pode ver a informação online.

O acesso online por cidadãos a processos começou em maio de 2017, mas apenas em matéria executiva

Gustavo Bom / Global Imagens

A partir desta quinta-feira, todos os cidadãos podem aceder e consultar online os processos judiciais em que estão envolvidos. Antes apenas os advogados e funcionários judiciais podiam aceder, pela plataforma Citius, à consulta de qualquer processo (com exceção para os processos executivos). Contudo, com a nova plataforma de Serviços Digitais dos Tribunais, acessível através do site tribunais.org.pt, qualquer cidadão pode agora consultar os seus processos judiciais.

Esta desmaterialização é para descomprimir as idas desnecessárias ao tribunal. O objetivo é criar um ambiente em que se vai ao tribunal quando se tem mesmo de ir”, explicou ao Observador Anabela Pedroso, secretária de Estado da Justiça.

“Agora, o cidadão vai poder acompanhar o processo [de forma mais fácil]”, conta Anabela Pedroso. Para se poder aceder a esta informação, basta entrar — no site — na área “Os Meus Processos” e, através da autenticação por Cartão de Cidadão ou Chave Móvel Digital, ver quais os processos judiciais, “corram eles nos tribunais judicias ou nos tribunais administrativos e fiscais”, esclarece a secretaria de estado.

Através da consulta desta informação, é possível conhecer todos os processos que estão pendentes em tribunal, informação relativa aos atos processuais e aos autores. O único limite no acesso à informação é o mesmo que qualquer cidadão já iria encontrar ao deslocar-se presencialmente a um tribunal para consultar os processos: o segredo de justiça.

Segundo a secretária de Estado da Justiça, este serviço gratuito é agora disponibilizado porque “havia um conjunto de funcionalidades necessárias” para garantir “um processo desmaterializado” no acesso à informação online pelos cidadãos e não apenas por funcionários judiciais e advogados. Quanto ao Citius, a “ferramenta para uso interno vai continuar a fazer o seu caminho de modernização”, afirma a política. “Quando entramos em tribunais.org.pt muda a maneira como é que eu, como cidadão, acedo à informação”.

O objetivo para o futuro, diz a secretária de Estado, é continuar a simplificar o acesso à informação judicial e apostar na modernização dos sistemas. Para já, a informação de “todos os processos que agora decorrem em tribunal” fica disponível de forma mais fácil para cada cidadão.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Justiça

Danos do divórcio e direito à indemnização

Nuno Cardoso Ribeiro
634

Hoje o processo judicial de divórcio não admite pedidos indemnizatórios sendo necessária uma acção cível e reviver factos e episódios que se prefere esquecer. Este regime todos os dias cria injustiças

Corrupção

O caso da OCDE e a corrupção /premium

Helena Garrido
3.456

O que se passou com a OCDE foi grave. O responsável pelo estudo foi impedido de estar presente na apresentação. E uma conferência da Ordem dos Economistas foi cancelada. Aconteceu em Portugal.

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)