A empresa de Donald Trump,  a Trump Organization, teve planos para oferecer a penthouse de um arranha-céus em Moscovo (que não chegou a ser construído) a Vladimir Putin. Os planos existiram durante a campanha presidencial de 2016, que elegeu Donald Trump como presidente dos EUA, magnata que sempre negou quaisquer relações com o presidente russo, suspeito de ter tentado influenciar o resultado das eleições norte-americanas.

A revelação, feita pela Buzzfeed News, surge no contexto da confissão por parte do antigo advogado de Trump, Michael Cohen, de que mentiu sobre um negócio imobiliário que esteve em discussão durante a campanha. A Buzzfeed News cita várias fontes que garantem que a hipótese de presentear Putin com uma penthouse no prédio foi discutida entre Cohen e o responsável pela comunicação de Vladimir Putin.

O objetivo era construir um arranha-céus luxuoso, com cerca de 100 andares — a penthouse que seria oferecida a Putin valeria cerca de 50 milhões de dólares. A Buzzfeed News não vai ao ponto de garantir que Trump teve conhecimento destes planos, que terão sido ideia de uma das fontes citadas pela publicação — Felix Slater, um sócio de Cohen — que pensou que seria uma boa ideia oferecer a penthouse a Putin porque, depois, todos os oligarcas russos iam fazer fila para tentar comprar andares no mesmo edifício onde vivia o presidente russo.

Há muito que, segundo a Buzzfeed News, a Trump Organization ambicionava construir um arranha-céus em Moscovo, e Slater terá tido a ideia de avançar com o projeto quando Trump anunciou a sua candidatura à presidência, em 2015, porque além de poder ser um negócio lucrativo “era uma forma de melhorar as relações entre os países, mostrando que os negócios e o comércio são muito melhores, nesse aspeto, do que a diplomacia e a política.