Há pneus de Verão e pneus de Inverno, estes tradicionalmente mais estreitos, feitos com borracha mais macia e com um maior número de recortes e lamelas para tentar “agarrar-se” à neve. Sim, porque quando se trata de conseguir ter tracção no gelo, só os pregos garantem esse aparente milagre.

Esses pregos, na realidade, de prego não têm nada. São essencialmente umas tachas em que a cabeça, mais grossa, é enfiada na borracha a quente, com um equipamento especial, mas basta que o pneu circule uns quilómetros a um ritmo vivo numa estrada não coberta por gelo para a borracha aquecer, com a fricção, e os pregos começarem a saltar.

Como se não bastasse esta contrariedade, os pregos não podem ser muito grandes, especialmente nos pneus destinados a circular nas estradas abertas ao público, onde raramente ultrapassam 2 mm, para não degradar o asfalto, quando o gelo é menos espesso. Para competição chegam a atingir 5 ou 7 mm, garantindo um grip superior.

Ora, não se contentando com a aderência dos pneus de pregos convencionais, um condutor russo decidiu retirar o pneu da jante do seu Lada 110, uma máquina que extrai 90 cv – nos dias bons – do seu motor 1.6 a gasolina. E, para ter a certeza que os pregos conseguiam penetrar (mesmo) no gelo, soldou à jante a módica quantia de 3.000 pregos vulgares, mas de tamanho king size.

Uma vez terminado o trabalho, o Lada do youtuber russo da Garage 54 parecia ter quatro ouriços-cacheiros, completamente eriçados, no lugar dos pneus da frente, pois é aí que o Lada coloca a potência. Devagar, os longos pregos começaram por funcionar bem. Mas depois, à medida que a aceleração aumentava, as coisas começaram a complicar-se. O melhor é ver o vídeo: