Crise dos Refugiados

Primeiros refugiados sírios do programa de reinstalação europeu chegam a Portugal

5.753

Primeiras 33 pessoas do grupo de cerca de mil refugiados que Portugal se disponibilizou a receber já chegaram. Vêm do Egito e Sudão do Sul, ao abrigo do esquema de redistribuição europeu.

As seis famílias vindas do Egito na chegada ao Aeroporto Humberto Delgado

UNHCR/José António de Oliveira Ventura

São seis famílias, compostas por 33 pessoas, e são originárias da Síria e do Sudão do Sul. Chegaram a Portugal esta segunda-feira, ao abrigo do programa de reinstalação europeu definido pela Comissão Europeia, segundo informou o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) em comunicado enviado às redações.

“Estes refugiados encontraram uma solução duradoura para a sua situação e podem agora começar a reconstruir as suas vidas”, declarou Pascale Moreau, diretor do Gabinete para a Europa do ACNUR. “As chegadas de hoje são um gesto concreto de solidariedade de Portugal.”

Os 33 refugiados são os primeiros de um grupo de 1.010 pessoas que o Estado português se comprometeu a receber até outubro de 2019, no âmbito do programa europeu de partilha de responsabilidades nesta matéria. Os restantes continuam a aguardar a partida para Portugal no Egito e na Turquia.

De acordo com o ACNUR, este é “o programa de redistribuição de refugiados mais ambicioso” a que Portugal já se submeteu. Entre 2015 e 2017, Portugal aceitou outros 1.500 requerentes de asilo vindos de Itália e Grécia — o número era maior, mas a redistribuição foi feita num período de tempo mais prolongado que o do programa atual.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbruno@observador.pt
Japão

Pegar o touro pelos cornos /premium

José Miguel Pinto dos Santos

Não deixa de ser irónico que as potências por detrás da intransigência doutrinária da Comissão Baleeira Internacional sejam as mesmas que, no século 19, exigiram ao Japão que lhes abrisse os portos...

Governo

2019 no mundo e em Portugal

Inês Domingos

Vinte anos depois do calendário, passada a crise, 2019 é o ano em que política, social e economicamente entramos realmente no novo século. Este Governo está aflitivamente impreparado para o enfrentar.

Política

O Povo é sempre o mesmo

Pedro Barros Ferreira

Trump e Bolsonaro não apareceram de gestação expontânea, antes pela sementeira criada pelos partidos e políticos que nada fazem, mas que dizem que tudo deve mudar para que, afinal, tudo fique na mesma

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)