Lifestyle

Quem vai fazer feliz hoje?

Porque pequenos gestos podem causar um grande impacto nas pessoas que nos rodeiam, este Natal ofereça felicidade a quem mais gosta.

Getty Images/iStockphoto

A felicidade é contagiosa. Ou a felicidade espalha-se. Porque a nossa forma de estar na vida tem o poder de contagiar os outros ao nosso redor. Pequenos gestos de bondade podem causar um grande impacto no mundo. Esta é a corrente de felicidade que todos podemos transportar diariamente connosco. Quando acordar de manhã, pergunte a si própria: quem vai fazer feliz hoje?

Vai ligar à sua mãe só para dizer que tem saudades dela? Vai dizer bom dia ao senhor do autocarro? Vai sorrir à senhora da pastelaria que todos os dias lhe serve um pastel de nata? Vai levar um café para a sua colega do lado? Todos estes pequenos gestos que por vezes parecem insignificantes têm o poder de mudar a vida das pessoas. E elas irão sentir e replicar. Irão mudar a vida de outras pessoas com tantos outros gestos banais como estes. Então porque não partilhar mais vezes felicidade com os outros?

A felicidade não cai do céu mas caiu no Chiado

Levar pequenos gestos de felicidade a estranhos foi a mensagem de Lancôme que, juntamente com algumas influencers portuguesas, andou no Chiado a oferecer kits Lancôme com dois perfumes La Vie Est Belle: um para a pessoa e outro para oferecer e partilhar também a felicidade. Surpreender estranhos na sua rotina com uma caixa Lancôme foi uma forma de mudar o dia de algumas pessoas e de as fazer também partilhar este estado de espírito com alguém da sua vida.

E estes são os pequenos gestos que podem ter impacto na vida das pessoas de quem gostamos e de as lembrar que a felicidade é para viver aqui e agora. Passamos a vida a dizer que vamos ser felizes quando… quando ganharmos aquela promoção, quando arranjarmos aquele emprego, quando casarmos, quando acontecer isto ou aquilo. Vivemos a acreditar no “final feliz” como se não tivéssemos direito de viver o “presente feliz”. Aceitámos como certo o mote de que “no final, tudo acaba bem e, se ainda não está bem, é porque ainda não acabou”. Mas a felicidade não é uma meta que só chega no fim. A felicidade é para ser vivida todos os dias.

Este Natal ofereça felicidade

Se este Natal quer fazer alguém feliz, ofereça-lhe La Vie Est Belle. Ofereça-lhe felicidade num frasco. E um lembrete diário de que, todas as manhãs, devemos borrifar a nossa dose de felicidade e espalhá-la pelo mundo.

Lançado em 2012, o perfume de Lancôme nasceu com o objetivo de mostrar às mulheres que deviam libertar-se das convenções e ser simplesmente felizes. Foi uma mensagem de força e de liberdade que agora nos vem encorajar a partilhar a nossa felicidade e a multiplicar os seus efeitos.

O novo capítulo de La Vie Est Belle deixa a pergunta: quem vai fazer feliz hoje? E esta nova filosofia de vida passa por compartilhar felicidade com os outros. Todos os dias. Porque a felicidade é ainda mais verdadeira quando é compartilhada. La Vie Est Belle representa uma escolha. A escolha de viver a vida e torná-la ainda mais bonita. Para nós e para quem nos rodeia. E o Natal é a altura certa para nos lembrarmos que o mundo vai ser melhor se todos nós fizermos um bocadinho mais por isso.

La Vie Est Belle de Lancôme está à venda nas perfumarias. Edição Glitter limitada e exclusiva Perfumes & Companhia.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt
Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Política

O caso Berardo e o regresso a Auschwitz

Luís Filipe Torgal

A psicologia de massas, manipulada pelos novos cénicos «chefes providenciais», vai transfigurando a história em mito, crendo num «admirável mundo novo», depreciando a democracia, diabolizando a Europa

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)