PSD

Montenegro vai mesmo contestar a liderança de Rui Rio? “Isto tem de mudar, o PSD assim não se vai conseguir afirmar”

960

Luís Montenegro não gostou de ouvir Manuela Ferreira Leite admitir que prefere um partido "pequeno" do que colado à "direita". "PSD assim não se vai afirmar". Ex-líder do PSD promete falar "em breve".

Luís Montenegro assumiu-se como crítico de Rio logo no congresso que o elegeu, há um ano

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Assumiu-se desde o dia zero como crítico interno de Rui Rio e garantiu que não iria pedir autorização a ninguém quando quisesse avançar para a liderança do partido — fê-lo no próprio dia em que Rio foi entronizado líder em congresso e, de lá para cá, manteve-se mais ou menos em silêncio. Agora, Luís Montenegro afirma que o silêncio tem os dias contados, e levanta a ponta do véu: “Este estado de coisas tem de acabar e isto tem de mudar, porque o PSD assim não vai conseguir afirmar-se”, disse na TSF, condenando todos os que, dentro do partido, “não se importam que o PSD seja hoje um partido pequenino”. Se isto é ou não um pré-anúncio de desafio a Rio para disputar a liderança, é o que falta saber.

“Muito em breve falarei sobre e estado do PSD, falarei mesmo sobre o futuro do PSD porque entendo que este estado de coisas tem de acabar e isto tem de mudar: o PSD assim não se vai conseguir afirmar”, disse o ex-líder parlamentar do PSD no programa de comentário semanal Almoços Grátis, que mantém na TSF com o líder parlamentar do PS, Carlos César. O pretexto para pôr fim ao silêncio e dar início ao ataque foi as declarações de Manuela Ferreira Leite esta terça-feira à noite também na TSF, onde disse que preferia que o PSD tivesse “pior resultado nas eleições” do que passasse a ser rotulado como um partido de “direita”.

A ex-líder social-democrata dizia isso a propósito da convenção organizada pelo Movimento Europa e Liberdade, que vai ter lugar na próxima quinta e sexta-feira, e onde vão discursar muitos dos atuais críticos de Rio, como Luís Montenegro, Marques Mendes, Pedro Duarte, Pinto Luz ou Miguel Morgado. No programa Pares da República, na TSF, Ferreira Leite desvalorizou o movimento e acusou esse tipo de movimentos de se orientarem apenas por interesses relacionados com a elaboração das listas de deputados em pleno ano eleitoral. “Acho que todo este tipo de movimentos que se baseiam em questões de natureza pessoal e muito marcados pela futura próxima constituição de listas para deputados merecem-me algum desprezo”, disse.

Em causa está uma convenção organizada pelo Movimento Europa e Liberdade que reúne vários quadrantes da direita e centro-direita portuguesa, e que contará com intervenções de Assunção Cristas, Paulo Portas, Santana Lopes e vários rostos do PSD que não se reveem no PSD de Rio.

A propósito dessas declarações, Luís Montenegro não se conteve. Disse que era “gravíssimo” e “completamente descabido” uma ex-líder dizer que preferia que o partido tivesse um mau resultado. “Dizer como ela disse que prefere um mau resultado a um rótulo que não existe de uma coisa que ainda nem se realizou e que devia ter pessoas de vários quadrantes políticos é gravíssimo”, afirmou. E continuou: “Até porque por detrás desta afirmação está uma ideia de PSD de que estou em profundo desacordo. Há pessoas no PSD que não se importam que o partido seja cada vez mais pequeno, pequenino”.

Para o ex-líder parlamentar de Passos Coelho, tais declarações além de graves descaracterizam a base do PSD. “É muito perigoso que se possa matar no nosso espaço político ideia do PSD como um grande partido, com vocação maioritária, com vocação de Governo (…) é mesmo descaracterizar o PSD”, disse. “O PSD assim não se vai conseguir afirmar”, lamentou ainda.

Montenegro não se quis alongar em mais considerações, mas prometeu novas declarações para “breve”.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rdinis@observador.pt
PSD

Marcelo, o conspirador /premium

Alexandre Homem Cristo

O pior destes 10 dias no PSD foi a interferência de Marcelo. Que o PSD se queira autodestruir, é problema seu. Que o Presidente não saiba agir dentro dos seus limites institucionais, é problema nosso.

PSD

Ao centro, o PSD não ganhará eleições /premium

João Marques de Almeida
262

Rio, que não perde uma ocasião para evocar Sá Carneiro, não aprendeu a sua principal lição: o PSD só chega ao poder quando lidera uma alternativa aos socialistas. Não basta esperar pelo fracasso do PS

Política

Salazar /premium

Helena Matos
1.498

Os actuais líderes não têm discurso, têm sim objectivos: manter-se ou chegar ao poder, através da popularidade e não da política. Logo precisam do passado e de Salazar para falarem de política.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)