TAP

Ex-administrador da TAP lembra que a época da aviação regulamentada já passou

Fernando Pinto disse que a época da aviação regulamentada já passou e, por isso, a obrigação da TAP de prestar um serviço público com egras claras de limite de tarifários, voos e horários acabou.

Fernando Pinto foi gestor da TAP entre 2000 e 2018 e até 2008 havia obrigação de prestação de serviço público

9979

Autor
  • Agência Lusa

O ex-presidente do conselho de administração da TAP, Fernando Pinto, disse esta sexta-feira no parlamento madeirense que a época da aviação regulamentada já passou e sublinhou que a companhia não tem obrigação de prestar serviço público.

A época da aviação regulamentada passou, não existe mais. Hoje é a regra do mercado”, afirmou perante a Comissão Eventual de Inquérito à Política de Gestão da TAP em Relação à Madeira.

Fernando Pinto, que foi gestor da TAP entre 2000 e 2018, lembrou que nesse período ocorreram dois grandes movimentos: o primeiro até 2008, em que havia a prestação de um serviço público, com regras claras de limite de tarifários, voos e horários específicos; e o segundo aconteceu com a liberalização do mercado.

Foi isso que trouxe a possibilidade das ‘low cost’ (companhias de baixo custo) e se continuássemos hoje com as regras do passado as empresas estariam cobrando valores [por bilhete] muito maiores em termos genéricos”, disse, vincando que atualmente a TAP “não tem obrigação” de prestar serviço público para a região autónoma, apesar de o acionista maioritário (50%) ser o Estado.

O ex-administrador da transportadora aérea considerou ainda que a Madeira foi “feliz” porque uma ‘low cost’ – a easyJet – se interessou pelo mercado, que diz ser “super-difícil” e onde o “grande problema” se refere aos cancelamentos de voos, sobretudo por motivos meteorológicos.

Fernando Pinto disse também que a TAP sempre encarou a região autónoma como um “mercado especial”, lembrando que opera 49 voos por semana, o que traduz uma “grande densidade”.

Sobre a questão do preço dos bilhetes, considerou que o problema assenta na forma como o subsídio de mobilidade foi concebido, fazendo com que os passageiros paguem valores muito superiores aos 86 euros estabelecidos, sendo posteriormente reembolsados da diferença até um teto de 400 euros.

“Esse é um problema a ser focado e analisado” para se encontrar uma forma de o resolver, afirmou, sublinhando, por outro lado, que o valor da tarifa depende da procura e que 47% dos bilhetes vendidos estão abaixo dos 100 euros.

A Comissão Eventual de Inquérito à Política de Gestão da TAP em Relação à Madeira foi constituída a pedido do PSD, partido com maioria absoluta no parlamento regional, e já interrogou o presidente da TAP, Antonoaldo Neves, o presidente da ANA – Aeroportos de Portugal, Thierry Ligonnière, e o administrador não executivo da TAP, Bernardo Trindade.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)