Restaurantes

No restaurante Soão, o whisky casa todos os dias com o chá

225

A taberna asiática instalada em Alvalade tem em carta três propostas para harmonizar whisky com chá, um casamento peculiar que serve de desafio às papilas gustativas.

O casamento inusitado entre duas bebidas tão diferentes é uma experiência difícil de igualar e, também por isso, desafiante. Acontece tudo no Soão, em Alvalade.

© Paulo Barata

A Ásia aterrou em Alvalade em abril do ano passado e, no voo de ida, trouxe tudo a que tinha direito: do ambiente de uma taberna asiática ao menu pensado para refletir sabores da China, do Japão, da Tailândia, da Índia, do Vietname e da Coreia do Sul. A viagem não se faz apenas com o que chega ao prato, mas também através das bebidas: se já é incomum ter reflexos da gastronomia pan-asiática num bairro fora do centro turístico de Lisboa, mais curioso é a proposta de harmonizar whisky com chá.

Não é gaffe, nem tão pouco é loucura. O casamento inusitado entre duas bebidas tão diferentes é uma experiência difícil de igualar e, também por isso, desafiante. Se o whisky desliza pelo copo a abaixo sem a companhia do gelo, o chá é servido a aproximadamente 60º graus — a temperatura é escolhida de forma a não aniquilar o paladar — e chega à mesa em louças gaiwan (neste caso, em taças da Dinastia Ming chinesa), que permitem conservar o calor durante mais tempo. O momento de harmonização finaliza a refeição e no Soão há três pairings diferentes, todos eles criados por Vasco Martins, responsável pela cocktelaria, em conjunto com o tea commelier Sebastian Figueiras, fundador da Companhia Portugueza do Chá.

Vasco Martins é head bartender do restaurante Soão. © Paulo Barata

As três harmonizações disponíveis juntam dois whiskys japoneses e um taiwanês a chás escolhidos com o contributo de Sebastian — a ideia é que tanto o chá como o whisky façam favores um ao outro e tragam à superfície do paladar notas que até então passavam despercebidas. “Em carta há dois pairings diretos e um indireto. No direto o chá salienta as notas mais escondidas no whisky; no indireto o chá dá algo ao whisky, algo que ele ainda não tinha”, explica Vasco Martins ao Observador.

No dia em que visitámos o espaço, foram-nos apresentadas quatro harmonizações (há uma quarta proposta não incluída na carta, mas disponível a pedido), incluindo aquela que juntou o Yanazaki 12 anos, um whisky japonês particularmente difícil de encontrar em Portugal, a um chá Milky Oolong, proveniente da China (19,50 euros). “Este chá vai dar ao whisky notas de fruta madura, fruta tropical e algumas notas doces que o whisky não tem”, palavras de Vasco Martins. Aquele que é o responsável pelas propostas de bar do Soão aconselha os clientes a primeiro provar o chá, para limpar a boca e preparar as papilas gustativas, e só depois o whisky, um jogo de sabores que é, na verdade, uma cerimónia que deverá levar o seu tempo. “Sinceramente, isto é para ser desfrutado com calma e paciência.”

No Soão pode provar também o whisky Kavalang King Car Conductor, de Taiwan, com o chá Gin Xuan Oolong Thai da Tailândia (12,50 euros) e o whisky Nikka From The Barrel, do Japão, com o Lapsang dos Açores (9,50 euros) — este último casamento é forte em notas fumadas e de tabaco. A isto juntam-se ainda os seis cocktails da casa, feitos com ingredientes asiáticos, e os vários rótulos de saké (do Japão) e soju (da Coreia do Sul).

Porque onde há bebida há também comida, neste restaurante existe um menu com pratos de seis países diferentes, incluindo o clássico Pad Thai (mistura de massa de arroz com ovo, camarão, frango, cebolo, amendoim, rebentos de soja e tamarindo) e a chamuça de chocolate e coco para sobremesa. E estas são apenas algumas sugestões.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)