Se há coisa que já se sabe é que o futebol raramente é previsível, raramente cumpre regras, raramente é aquilo que esperamos que ele seja. Este verão, o Benfica contratou Castillo e Ferreyra, uma dupla de avançados perigosa e que muito prometia — principalmente ser a concorrência que faltava a Jonas e que Seferovic nunca tinha conseguido ser. Ora, em janeiro de 2019, o panorama é este: Ferreyra anda entre a bancada e as convocatórias e deve ser emprestado, Castillo foi mais utilizado mas idem idem aspas aspas, Seferovic leva 13 golos esta temporada e um miúdo de 19 anos é titular na frente de ataque do Benfica.

Rui Vitória saiu, Bruno Lage ficou e o Benfica deixou o 4x3x3 para assumir o 4x2x2. Com a lesão de Jonas, João Félix e Seferovic formam agora uma improvável dupla à frente do meio-campo e são, em conjunto com Pizzi, os principais responsáveis pela vaga de bons resultados que os encarnados têm vindo a acumular (à exceção da derrota com o FC Porto na Taça da Liga). Esta terça-feira, o avançado de 19 anos foi o melhor elemento do Benfica, marcou o primeiro golo, esteve na origem do segundo, assistiu para o terceiro e voltou a estar na jogada do quarto. Com o golo que assinou logo aos nove minutos, em que surgiu ao segundo poste a responder a um livre batido por Pizzi, João Félix marcou o quinto golo pela equipa principal dos encarnados e tornou-se o mais novo a fazê-lo tão rápido desde há 65 anos. O jogador nascido em 1999 é muito provavelmente o maior talento português em crescimento e parece ter adquirido uma nova vida com a chegada de Bruno Lage.

No final do jogo, em declarações à BTV, João Félix disse que, naturalmente, estava “muito contente”. “Coletivamente estivemos bem, e quando estamos coletivamente bem, as individualidades aparecem e temos a sorte de receber este prémio [foi eleito o melhor em campo]. Estou naturalmente muito feliz com o meu ano de estreia: tenho cinco golos, tenho de agradecer à equipa”, acrescentou o jogador. Com o golo e a assistência da goleada imposta ao Boavista, atingiu números impressionantes — marca ou assiste a cada 67 minutos e só Paco Alcácer, Mbappé, Messi, Cavani e Neymar fazem melhor em toda a Europa.

Ao lado de Félix, o suíço. O suíço que falha mais golos do que aqueles que marca mas que já leva 20 com a camisola do Benfica, o clube onde foi mais concretizador. Seferovic tem sido o grande beneficiado pela lesão de Jonas e será, muito provavelmente, o sacrificado quando o brasileiro regressar. Ainda assim, com os dois golos desta terça-feira, o avançado tem já 13 esta temporada e é de forma destacada o melhor marcador dos encarnados (Jonas tem nove).

Pizzi também marcou e assistiu mas João Félix e Seferovic são os nomes maiores que representam o Benfica de Lage que leva já quatro vitórias consecutivas para o Campeonato e é a equipa mais concretizadora da Primeira Liga (43). Para quem adormeceu em agosto e acordou em janeiro, é estranho mas é verdade: o melhor marcador do Benfica é Seferovic e o titular na frente de ataque é um miúdo de 19 anos.