O relatório final da auditoria da EY à Caixa Geral de Depósitos foi entregue na passada sexta-feira por Paula Macedo na Assembleia da República. Num primeiro momento, o Parlamento divulgou o documento digital, mas depois retirou-o do site alegando um problema técnico. Em causa estava a possibilidade de naquela versão ser possível facilmente retirar os nomes e números que estavam rasurados pelo banco público, devido ao alegado sigilo bancário. Bastava eliminar as caixas brancas que tinham sido colocadas por cima desses dados sigilosos.

Mais tarde a Assembleia repôs o documento, já digitalizado da versão em papel, como o Observador noticiou. E aí sim os dados que permitem perceber os créditos ruinosos atribuídos pela Caixa já não estavam visíveis.

CGD. Parlamento divulga sem querer versão da auditoria em que se pode ler informação escondida

Mas antes foi possível “limpar” a versão digital e mostrar tudo o que lá está. É o que pode ler na fotogaleria que abre este artigo. Porque será com estes dados que Paulo Macedo deve ser confrontado esta quinta-feira à tarde na Comissão de Orçamentos e Finanças.