São Tomé e Príncipe

São Tomé recebe mais sete milhões de euros de apoios da UE

A União Europeia reforça o apoio de cooperação a São Tomé e Príncipe. Os 35 milhões de euros se destinam a executar programas de cooperação "em várias áreas".

Segundo o governo, o primeiro-ministro são-tomense "tem-se desdobrado em encontros bilaterais com vários Chefes de Estado e de Governos"

LUSA

A União Europeia vai reforçar o apoio de cooperação a São Tomé e Príncipe em sete milhões de euros entre 2019 e 2020, no quadro do Programa Indicativo Nacional (PIN), disse esta segunda-feira fonte governamental.

O PIN 2014-2020 está avaliado em 28 milhões de euros, esta segunda-feira foi acrescido em mais sete milhões, totalizando 35 milhões de euros, de acordo com a adenda assinada no sábado.

O documento, assinado pelo ministro da presidência do Conselho de Ministros e Assuntos Parlamentares, Wando Castro, refere ainda que o acordo foi rubricado pela ministra dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Comunidades, Elsa de Barros Pinto e o comissário da UE para a Cooperação Internacional e Desenvolvimento, indica o governo em nota de imprensa distribuída hoje aos jornalistas.

O Programa Indicativo Nacional entre São Tomé e Príncipe foi assinado na capital etíope, Adis Abeba, à margem da 32ª Cimeira da União Africana onde se encontra uma delegação são-tomense chefiada pelo primeiro-ministro Jorge Bom Jesus.

Fonte governamental são-tomense sublinha que os 35 milhões de euros se destinam a executar programas de cooperação “em várias áreas”.

A assinatura deste Programa Indicativo Nacional, demonstra a confiança da UE com o atual Governo e o compromisso com a democracia e estabilidade política do nosso País”, refere a nota de imprensa assinada por Wando Castro.

Segundo o governo, o primeiro-ministro “tem-se desdobrado em encontros bilaterais com vários Chefes de Estado e de Governos”, destacando-se, entre eles o Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang e o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

Jorge Bom Jesus encontrou-se igualmente com o seu homólogo cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva.

Com os parceiros, o chefe do executivo de são Tomé “abordou assuntos de interesses comuns e as partes reafirmaram a firme convicção de darem continuidade ao reforço da cooperação e amizade existentes”.

De acordo ainda com Wando Castro, o primeiro-ministro de Cabo Verde convidou o seu homólogo são-tomense a visitar o seu país “o quanto antes”, tendo Jorge Bom Jesus aproveitado para convidar também o primeiro ministro cabo-verdiano a “estar presente no grande evento sobre a teoria de relatividade marcado para 29 de Maio na ilha do Príncipe.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Educação

Estado-educador e Estado-cultura, em marcha?

Mário Pinto

Não existe uma educação para a cidadania única e institucional. Há várias concepções de cidadania, mesmo como concepções de vida democrática, pois há pluralismo social e cultural, ou moral e religioso

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)