Lançamentos

Editora Quetzal lança nova coleção de literatura de viagens

"Terra Incógnita" reúne "títulos e autores que desprezam a ideia de turismo e fazem da viagem um modo de conhecimento". Predrag Matvejevitch e Paul Theroux inauguram a coleção.

"Breviário Mediterrânico", de Predrag Matvejevitch, e "O Grande Bazar Ferroviário", de Paul Theroux, são os primeiros títulos desta coleção

Na próxima semana, a editora Quetzal vai lançar uma nova coleção dedicada à literatura de viagens. Intitulada “Terra Incógnita”, “mais do que livros de viagens, com um formato especial”, esta vai reunir “títulos e autores que desprezam a ideia de turismo e fazem da viagem um modo de conhecimento”. Os primeiros dois livros vão chegar às livrarias no dia 8 de março.

“O relato de viagens é, provavelmente, o género literário mais comum desde o princípio dos tempos. Hoje, quando o mundo é um gigantesco ecrã onde tudo está já conhecido, a única coisa que nos resta é o espírito da viagem. Se já não vamos à procura do exótico e do belo, nem do irrepetível, esses livros transmitem uma sabedoria que nos devolve a ilusão e a alegria da viagem”, referiu a Queztal num comunicado, enviado esta quarta-feira.

Os dois primeiros livros da coleção vão chegar às livrarias no dia 8 e março, sexta-feira

Os dois livros que marcarão o arranque desta nova coleção serão Breviário Mediterrânico, de Predrag Matvejevitch, um dos mais eminentes ensaístas eslavos, e O Grande Bazar Ferroviário, do escritor norte-americano Paul Theroux.

O primeiro foi traduzido por Pedro Tamen e conta com uma introdução de Claudio Magris e um posfácio de Robert Bréchon. Obra difícil de definir, pode ser, segundo a editora, “um diário de bordo, um livro de aforismos ou de orações, um atlas, um romance ilustrado do século xx, um tratado poético-filosófico, um livro de História Antiga”. O Grande Bazar Ferroviário relatava a viagem que Paul Theroux fez de comboio entre a Europa e a Ásia. “Repleta de evocativos nomes de comboios lendários, descreve lugares, culturas e paisagens que atravessou e as pessoas fascinantes que conheceu e que o acompanharam ao longo de milhares de quilómetros”, resumiu a editora.

A Queztal anunciou também neste mês o lançamento de uma nova gramática de latim, a primeira editada em Portugal desde 1974. Concebida pelo classicista, tradutor e vencedor do Prémio Pessoa, Frederico Lourenço, a Nova Gramática do Latim vai chegar às livrarias depois dos títulos inaugurais de “Terra Incógnita”, no dia 15 de março.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt
Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Crónica

Partir A. Ventura /premium

José Diogo Quintela
123

Ventura quer mudar o sistema por dentro. É uma espécie de supositório humano: faz-se introduzir no organismo para depois exercer a sua influência. Ei-lo metade glicerina, metade convicção ideológica.

Cinema

Amigos improváveis e a solidão dos revolucionários

António Pimenta de Brito

O filme “Greenbook” é um hino a uma liberdade que pode fazer tudo, uma liberdade que, mesmo com condicionantes, não desiste das suas possibilidades, na busca pela felicidade, dignidade e amor.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)