O Banco de Portugal lembra que já concluiu três processos relacionados com a gestão do Banco Espírito Santo, liderada por Ricardo Salgado. Em causa está a condenação dos antigos gestores do BES em processos por contraordenações muito graves que levaram à imputação de responsabilidades individuais. Em relação à entrevista dada pelo ex-presidente do BES à Rádio TSF este domingo, o Banco de Portugal assinala ainda que num dos processos contra o ex-presidente do BES o Tribunal da Concorrência confirmou os factos apurados pelo supervisor, bem como as responsabilidades individuais imputadas. O comunicado nunca revela contudo quais os factos apurados, nem as condenações proferidas contra a antiga gestão do BES no quadro das investigações que desenvolveu sobre a queda do banco desde 2014.

O supervisor lembra ainda que “já foram prestados esclarecimentos sobre todas as situações abordadas nessa entrevista, designadamente no contexto da comissão parlamentar de inquérito realizada, cujo relatório final é público. Nesta entrevista à TSF, Ricardo Salgado admite que houve erros, mas repete algumas das acusações que tem vindo a fazer no quadro da sua defesa e que visam, em particular, o Banco de Portugal. Foi aliás a linha seguida na contestação ao processo de falência culposa do antigo Banco Espírito Santo cuja resolução deu origem ao Novo Banco.